05/04/2015

18:48

Por: Alberto Silva

(Tudo pelo Dinheiro) Silas Malafaia sai em defesa da Rede Globo e critica boicote á Babilônia

O pastor Silas Malafaia criticou o boicote dos cristãos à novela Babilônia, exibida pela rede Globo. Ele sugeriu que os políticos da Frente Parlamentar Evangélica deveriam deixar de atacar a novela.

A postura de Malafaia tem sido grandemente questionada nas redes sociais. Os internautas acusam o pastor de militar em causa própria, uma vez que o mesmo vem se aproximando da rede Globo faz algum tempo, sendo o único líder evangélico que conseguiu espaço de propaganda para vender “produtos religiosos” durante o Festival Promessas.
Escrita por Gilberto Braga, João Ximenes Braga e Ricardo Linhares, com direção de Dennis Carvalho, a trama estreou com um beijo gay entre as personagens de Nathalia Timberg e Fernanda Montenegro, e desagradou uma multidão de telespectadores.
Apesar das críticas de Malafaia e outros lideres evangélicos, o boicote à novela tem surtido efeito, pois em sua estréia, Babilônia teve o pior ibope dos últimos 50 anos. Preocupados com a rejeição do publico, a emissora dos Marinhos efetuou diversas mudanças estruturais, que vão desde o logotipo até as chamadas, muito mais “suaves” agora, dando protagonismo aos personagens paralelos, desviando a atenção do beijo gay e histórias de promiscuidade, intrínsecas à trama.
Internamente, a avaliação é a de que Babilônia exagerou ao concentrar os primeiros capítulos em personagens polêmicos, como as vilãs Beatriz (Gloria Pires) e Inês (Adriana Esteves) e no casal de lésbicas Teresa (Fernanda Montenegro) e Estela (Nathalia Timberg). Avalia-se também que a parte mais folhetim, das mocinhas sofredoras e casais apaixonados, ficou em segundo plano. A cúpula da Globo, contudo, aprova a novela e aposta em um esforço de comunicação para levantar a audiência.

Compartilhe:

Comentários

* O Pensa Brasil não se responsabiliza pelo conteúdo dos comentários e se reserva o direito de eliminar, sem aviso prévio ao usuário, aqueles em desacordo com as normas do site ou com as leis brasileiras.

Mais Lidas

74

Clique aqui