19/04/2015

19:04

Por: Alberto Silva

Palmeiras elimina o Corinthians nos pênaltis e vai à final do Paulistão

O Palmeiras é finalista do Paulistão 2015! Após um empate por 2 a 2 no tempo normal, a equipe de Oswaldo de Oliveira foi mais competente na decisão por pênaltis do que o Corinthians na Arena do rival e voltará a disputar uma decisão estadual após sete anos. Uma alegria que os cerca de 1,5 mil torcedores alviverdes tiveram na casa do maior rival após um belíssimo jogo.

Mas com dois tempos distintos. Os primeiros 45 minutos iniciais só podem ser resumidos de uma única maneira: alucinantes. Rivalidade a flor da pele, disputas de bola, torcidas empolgadas nas arquibancadas e gols. Emoção não faltou. A começar pelo lado alviverde que, aos 14, saiu na frente com Victor Ramos. O zagueiro aproveitou um escanteio mal tirado pelos corintianos e afundou Cássio: 1 a 0.

Era tudo que o Verdão precisava, já que atuava fora de casa e contra uma equipe que atuou na quinta-feira, consequentemente com menos perna para correr atrás. Mas o Corinthians na Arena é forte e, apoiado pela torcida, foi em busca do empate. Que saiu com um especialista em clássico: Danilo, sempre ele. O camisa 20 aproveitou um bonito cruzamento de Jadson e cabeceou sem chances para Fernando Prass. Foi o 12º do meia em clássicos pelo Timão.

O gol virou uma espécie de divisor de águas. O jogo, que estava com um certo equilíbrio, passou a ficar mais alvinegro. Apoiado pela torcida, que fazia muito barulho na Arena, a equipe de Tite foi para cima em busca da virada. E coube a Mendoza, de longe, acertar o canto esquerdo do goleiro Prass. Um bonito gol do colombiano, o segundo dele no Alvinegro.

Para a segunda etapa, Oswaldo de Oliveira optou pela entrada de Cleiton Xavier, com a intenção de tentar ficar mais com a bola. E mudança surtiu efeito. A equipe passou a ser mais agressiva. Mais do que isso: uma agressividade com consciência. Essa volúpia fez com que o Corinthians ficasse mais atrás, na busca pelo contra-ataque. Essa diferença de postura ficou nítida nas chances criadas, com direito a bola na trave de Cássio, que contou com a sorte.

O jogo se caminhava para sair mais um gol, de um lado (ataque) ou de outro (contra-ataque). E ele saiu, aos 28 minutos, da primeira maneira. Mesmo com 11 corintianos no campo de defesa, o Palmeiras encontrou espaço. Rafael Marques completou cruzamento no segundo pau, sem marcação e sem chances para Cássio. Empate justo de quem mais buscava o gol…

Placar igual…e as duas equipes satisfeitas. A decisão nos pênaltis não desagradaria nem seria injusta para nenhuma das equipes. E aí a sorte e a competência falaram mais alto para o lado alviverde, que venceu por 6 a 5, e garantiu vaga na decisão do Paulistão 2015.

FICHA TÉCNICA
CORINTHIANS 2 X 2 PALMEIRAS

Local: Arena Corinthians, em São Paulo (SP)

Data/Hora: 19/4/2015 – 16h

Árbitro: Thiago Peixoto (SP)

Auxiliares: Emerson Augusto de Carvalho e Alex Ang Ribeiro

Renda/Público: R$ 3.194.302,50 / 38.457 pagantes

Cartões Amarelos: Fagner e Felipe (COR); Lucas e Arouca (PAL)

GOLS: Victor Ramos, 13’/1ºT (0-1); Danilo, 33’/1ºT (1-1); Mendoza, 44’/1ºT (2-1) e Rafael Marques, 32’/2ºT (2-2)

PÊNALTIS: Corinthians: Fábio Santos (Gol), Renato Augusto (Gol), Fagner (Gol), Ralf (Gol); Elias (Errou), Gil (Gol), Petros (Errou); Palmeiras: Robinho (Errou), Rafael Marques (Gol), Victor Ramos (Gol), Cleiton Xavier (Gol); Dudu (Gol), Kelvin (Gol), Jackson (Gol)

CORINTHIANS: Cássio; Fagner, Felipe, Gil e Fábio Santos; Ralf, Bruno Henrique (Petros, 32’/2ºT), Jadson (Renato Augusto, 16’/2ºT), Danilo e Mendoza; Vagner Love (Elias, 15’/2ºT). Técnico: Tite.

DANUBIO: Fernando Prass; Lucas (Cleiton Xavier, intervalo), Victor Ramos, Jackson (Kelvin, 24’/2ºT) e Wellington; Gabriel, Arouca, Robinho e Valdivia (Gabriel Jesus, 24’/2ºT); Dudu e Rafael Marques. Técnico: Oswaldo de Oliveira.

Compartilhe:

Comentários

* O Pensa Brasil não se responsabiliza pelo conteúdo dos comentários e se reserva o direito de eliminar, sem aviso prévio ao usuário, aqueles em desacordo com as normas do site ou com as leis brasileiras.

Mais Lidas

63

Clique aqui