01/10/2015

21:31

Por: Alberto Silva

LULA a um passo da “CADEIA”, para PF já é suficiente, empreiteira articulou lobby de Lula com o ‘amigo’ Maduro

...E-mails entre executivos indicam que possível lobby de Lula poderia rever posição 'distante' da presidente Dilma na Venezuela

Leia tudo aqui …

Novos documentos em posse dos investigadores da Operação Lava Jato apontam que o mais famoso “caixeiro-viajante” do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva, não era procurado para fazer lobby no exterior apenas pela empreiteira Odebrecht. A Polícia Federal encontrou uma troca de e-mails entre executivos da Andrade Gutierrez, na qual eles afirmam que a empresa contava com as “habilidades” do petista para conseguir contratos na Venezuela, comandada pelo bolivariano Nicolás Maduro.

Preocupado com o futuro dos contratos da empresa no vizinho sul-americano, o executivo Sérgio Lins Andrade encaminhou, em março de 2014, um e-mail ao presidente afastado da empreiteira, Otávio Marques de Azevedo, e a outros colegas. A mensagem levava anexada uma reprodução de jornal com a notícia: “Dilma quer distância da Venezuela”. Lins Andrade avaliava que a posição da presidente, considerada mais refratária aos lobbies praticados pelo antecessor, poderia colocar em risco os negócios da empresa.

Em resposta, o executivo Flávio Gomes Machado Filho afirma que a Andrade deve, de fato, tomar cuidado com as atitudes de Dilma em relação ao país vizinho. Ele diz ainda que o presidente venezuelano Nicolás Maduro estaria incomodado com a petista. E sugere: pedir a ajuda a Lula, a quem Maduro considera um “amigo”, escreveu o executivo. “Nosso ponto focal de apoio tem que ser o ex-presidente Lula”, afirma. Machado Filho decide, então, agendar um encontro com Lula para traçar a estratégia da Andrade Gutierrez na Venezuela e selar o apoio do ex-presidente no país.

Equador – Em outra evidência de como as empreiteiras lidavam com Lula, os executivos Paulo Monteiro e Ricardo Sena discutem a importância de contar com o apoio do petista para conseguir negociar um contrato da Andrade Gutierrez no Equador. Apostam na proximidade do petista com o presidente Rafael Corrêa. Ricardo Sena resume: “O ambiente está muito hostil a nós e precisamos de algo que venha do Lula”.

Em uma sucessão de e-mails trocados entre os dois, os interlocutores analisam ainda conselhos do executivo da Aandrade Gutierrez Maurício Ricupero, segundo os quais, para conseguir negócios, a empresa deveria pedir a ajuda de Lula e depois recorrer ao então ministro de Minas e Petróleo do Equador Derlis Palácios – retratada pelos executivos como “superministro”.

A cúpula da Andrade Gutierrez foi presa na 14ª fase da Operação Lava Jato, que levou para a cadeia também empreiteiros da Odebrecht, entre os quais o presidente do grupo, Marcelo Odebrecht. Segundo o Ministério Público Federal, a Andrade Gutierrez utilizou práticas de corrupção e pagamento de propina como um verdadeiro “modelo de negócio”.

De acordo com os procuradores da força-tarefa do petrolão, a construtora tem executivos que cometem crimes “de modo profissional”. Nesta categoria, o MP elenca, por exemplo, o presidente da companhia, Otávio Marques de Azevedo. “A Andrade Gutierrez utilizava o pagamento de propinas como modelo de negócio, e Flavio David Barra e Otávio Marques de Azevedo eram responsáveis por, em nome da empreiteira, praticar crimes de corrupção e lavagem de dinheiro”, disse a acusação. “Mesmo depois de revelada a Operação Lava Jato, inclusive com a prisão de diversos empreiteiros em novembro de 2014, a Andrade Gutierrez continuou com a sistemática de pagar vantagens indevidas em contratos públicos. O presidente Otávio Marques, que poderia fazer cessar a conduta à época nada fez, e permitiu que o ‘modelo de negócio’ de sempre continuasse intacto”, completou.

O envolvimento da Andrade Gutierrez na Lava Jato não se resume apenas ao esquema de fraudes na Petrobras. Segundo as investigações, a empreiteira teria cometido irregularidades também no eletrolão. Depoimentos de delação premiada do executivo Dalton Avancini, que integrava os quadros da Camargo Correa e que concordou em detalhar o esquema de corrupção na Petrobras e em estatais revelam o pagamento de propina em Angra 3.

Compartilhe:

Comentários

* O Pensa Brasil não se responsabiliza pelo conteúdo dos comentários e se reserva o direito de eliminar, sem aviso prévio ao usuário, aqueles em desacordo com as normas do site ou com as leis brasileiras.

Mais Lidas

    Sorry. No data so far.

50

Clique aqui