06/07/2015

13:17

Por: Alberto Silva

Delações confirmam que ex-tesoureiro do PT pedia propina em troca de contratos com o governo

As delações do caso Petrolão, para desespero de Dilma, Lula e os “amigos” envolvidos, tem seguido a mesma linha, e apesar de acontecer em momentos diferentes, por pessoas diferentes, mostraram pontos muito semelhantes, demonstrando mais segurança nas informações dos delatores.

Apesar da negativa dos envolvidos, o GLOBO apurou que 5 delatores já afirmaram que pagaram propina em forma de doações para campanhas eleitorais, e outros 8 delatores afirmaram que o ex-tesoureiro do PT cobrava propina para firmar contratos de empresas com o governo petista.

 

Abaixo segue trecho da matéria do GLOBO:

“As investigações da Operação Lava-Jato já contam com 18 colaborações premiadas e uma análise feita pelo GLOBO dos depoimentos já disponibilizados pela Justiça revela que há muitos pontos coincidentes nas delações, o que tem ajudado os investigadores a avançar na produção de provas sobre o esquema de desvio de recursos da Petrobras para executivos da estatal, políticos, empresários e lobistas. Os delatores Augusto Mendonça, Ricardo Pessoa, Pedro Barusco, Eduardo Leite e Gérson Almada confirmaram, por exemplo, que pagaram propina através de doações formais para campanhas eleitorais (…) Outros oito delatores apontam que o ex-tesoureiro do PT pedia dinheiro em troca de contratos com a estatal. Essa afirmação foi feita pelo doleiro Alberto Youssef, pelo ex-diretor de Abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa, pelo ex-consultor da Toyo Setal Julio Camargo, pelo ex-presidente da construtora Camargo Corrêa Dalton Avancini, e também por Leite, Pessoa, Barusco e Mendonça.”

 

Compartilhe:

Comentários

* O Pensa Brasil não se responsabiliza pelo conteúdo dos comentários e se reserva o direito de eliminar, sem aviso prévio ao usuário, aqueles em desacordo com as normas do site ou com as leis brasileiras.

Mais Lidas

74

Clique aqui