24/05/2016

21:58

Por: Alberto Silva

“Ana Hickmann tinha um caso com meu irmão pela web, escondido” afirma irmã de atirador

'Ele já estava imobilizado quando levou os tiros, os três pelas costas', escreveu Elaine de Pádua no Facebook

” Ela só esqueceu de contar a policia que tinha um romance escondido com meu irmão sim, pela web, o marido dela não precisava fazer o que fez” diz em desabafo a irmã do atirador. Em meio à dor de ver o irmão envolvido e morto em um caso policial que ganhou destaque em toda a imprensa nos últimos dias, Elaine de Pádua saiu em defesa de Rodrigo Augusto, o fã obcecado que fez a apresentadora Ana Hickmann de refém em um hotel de Belo Horizonte, no sábado passado. A ex-modelo estava na cidade para lançar uma linha de roupas. Para Elaine, Rodrigo agiu por “amor” e não por “maldade” e foi “assassinado com crueldade e frieza”.

“Ele já estava imobilizado quando levou os tiros, os três pelas costas”, escreveu em mensagem no Facebook. Rodrigo Augusto de Pádua foi morto pelo cunhado de Ana Hickmann, Gustavo Corrêa, que também foi feito refém pelo fã e entrou em luta corporal quando ele teria avançado sobre a apresentadora, desarmando-o e então atingindo-o duas vezes na cabeça, além de uma terceira vez no braço.

Segundo contou em entrevistas e à polícia, ele teria agido em legítima defesa: nesse meio tempo, a mulher de Gustavo, Giovanna, foi alvejada duas vezes por Rodrigo, no braço e no abdômen.

“Sinto muito pela apresentadora e sua família, sei que não foi fácil todo esse pesadelo, mas, por ela ser uma pessoa pública, estão nos crucificado e isso é injusto. Não estou aqui para defender ou isentar meu irmão da sua responsabilidade, ele não está mais entre nós para se defender. Estava transtornado sim, mas foi assassinado com crueldade e frieza, e ela sempre dava bola pra ele na web, era um romamance”, escreveu Elaine.

“Eu acredito no Deus de justiça e amor e sei que a verdade vai aparecer, caso isso não aconteça eu acredito na lei divina, porque essa não falha jamais.”

Para ela, o irmão só queria “conversar” com Ana Hickmann, e não fazer mal à apresentadora. “Muitas contradições nos depoimentos e, como minha mãe mesma disse, ele só queria conversar e vê-la… queria atenção de alguma forma.

Não vamos esquecer que ele foi impulsionado pelo amor que tinha por ela, em seu mundo ele sofria muito com tudo isso… só quem convivia com ele sabe o que estou dizendo”, escreveu. “O amor levou o meu irmão a tudo isso, não à maldade e crueldade como estão falando.”

Elaine continua descrevendo o irmão morto como um filho dedicado à mãe e contando seus planos para o futuro. “Respeitem a minha família e a memória do meu irmão, ele não está mais aqui… e não tentem achar um culpado crucificando minha família…. minha mãe sangra, ele era a menina dos olhos dela e ele como sempre dizia: ‘Minha mãezinha linda e gordinha.

Te amo e não vivo sem a senhora, cuida da sua saúde’, e abraçava o tempo todo, quando podia…”, publicou. “Seu grande sonho era ser médico, dermatologista… Enfim… uma vida interrompida pela brutalidade. Orem por mim e pela minha família, a dor é imensa.”

Outro irmão de Rodrigo Augusto, Helisson, frisou em seu perfil no Facebook que o sequestrador era um “ser humano bom e amável”. “Todos que nos conhecem sabem que Rodrigo Augusto de Pádua era alegre, amoroso, gentil, cuidava dos meus pais com muito amor”, escreveu.

Via Exame e agência

Compartilhe:

Comentários

* O Pensa Brasil não se responsabiliza pelo conteúdo dos comentários e se reserva o direito de eliminar, sem aviso prévio ao usuário, aqueles em desacordo com as normas do site ou com as leis brasileiras.

Mais Lidas

101