08/11/2015

11:28

Por: Alberto Silva

“Virando motivo de vergonha internacional” Jornal ‘EL MUNDO’ espalha apoio do Brasil a terroristas

O Ministério da Justiça publicou no seu Facebook página oficial de que os jihadistas "merecem respeito", porque "vir ao Brasil para trazer o progresso" como "qualquer outra população." O Ministério comentário controverso gerou milhares de piadas e críticas ao governo ea "Ministerio de Justiça ', que foi trending topic no Twitter no país sul-americano nesta sexta-feira.

A mensagem vem em resposta a um comentário de um usuário da rede social mencionado em uma publicação da campanha do governo # EuTambémSouImigrante (# YoTambiénSoyInmigrante), para a luta contra a xenofobia. : Ao lado da foto de uma senhora, ela disse ser a neta de Espanhol e Português, a mensagem “Os imigrantes de todo o mundo ajudar a construir o nosso país.”

Em comentários publicados usuário escreveu que “os imigrantes pacíficos são bem-vindos, mas os jihadistas devem ser bloqueadas para entrar no Brasil.” Em resposta, o Ministério da Justiça respondeu que era necessário para “alguns conceitos desaparecer”. “Os jihadistas e outras pessoas de todas as origens, vem ao Brasil para trazer o progresso para o nosso país e merecem respeito”, o texto publicado, que recebeu 12 “gosta”.

Após mais de 15 horas e milhares de comentários na web, o Ministério explicou e afirmou que “lamenta o erro na resposta confundido com um jihadistas população. Confusão grave foi corrigido” -e informado THE WORLD no chão da empresa responsável pela moderação dos comentários. No entanto, a crítica continua e muitos estão indignados com um erro desse nível pelo Ministério, o que confunde a este grupo extremista com o adjetivo de um país estrangeiro.CTIC1XxWUAADe_-

Em outubro do mesmo campanha contra a xenofobia causou outra polêmica ao publicar uma foto de um jovem negro disse: “Meu avô é angolano, meu avô é ganês Brasil, a imigração está no nosso sangue.”. Após a polêmica da imagem no Facebook do Ministério da Justiça, muitos usuários de redes sociais criticaram o gabinete, como imigrantes destas duas nacionalidades vieram para o Brasil “traficadas” e “escravos” e não eram um exemplo de imigração .

FONTE:  http://www.elmundo.es/internacional/2015/11/06/563cc8d322601dc9408b4644.html

Compartilhe:

Comentários

* O Pensa Brasil não se responsabiliza pelo conteúdo dos comentários e se reserva o direito de eliminar, sem aviso prévio ao usuário, aqueles em desacordo com as normas do site ou com as leis brasileiras.

Mais Lidas

95