14/04/2016

16:03

Por: Alberto Silva

LULA está abatido e isolado no hotel em Brasil mas, promete levar 200 deputados para cadeia se Dilma cair

Abatido, o líder petista considerou infrutíferas suas últimas tentativas de salvar o governo Dilma do impeachment.

Esse é o jeito do PT governar, com sérias ameaças que não dão em nada. Lula está desesperado. Enquanto boa parte dos brasileiros acompanha ávidamente o desenrolar do processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff, alguns dramas vividos nos bastidores por outros atores da cena política nacional permanecem ocultos.

Recluso em um hotel de luxo em Brasília, onde montou um QG de apoio ao governo, o ex-presidente Lula recebeu a visita de membros do PT  nesta nesta quarta-feira (13). Entre os políticos de se dispuseram a visitá-lo e  prestar solidariedade, estavam os senadores Humberto Costa (PT-PE) e Lindbergh Farias (PT-RJ), o governador de Minas Gerais Fernando Pimentel (PT-MG), o deputado Vicente Cândido (PT-SP) e outros representantes da frágil base aliada do governo, como o deputado Orlando Silva (PCdoB-SP). Quase todos investigados na Lava Jato.

Abatido, o líder petista considerou infrutíferas suas últimas tentativas de salvar o governo Dilma do impeachment. Lula admitiu que a maior parte dos parlamentares que procurou naquela manhã e no dia anterior não retornaram suas ligações, enquanto outros se negaram a fechar acordos com ele, dadas as atuais circunstâncias.

Dilma pode até cair, mas podem escrever, vou levar 200 deputados para cadeia comigo, afirmou LULA

Lula se queixou da falta de comprometimento das bancadas que faziam parte da sustentação do governo petista, mas concordou com a opinião do deputado Danilo Forte (PSB-CE), que afirmou que “Fazer balcão de negócios em quarto de hotel é algo humilhante. Não merece respeito”, O ex-presidente não escondeu sua chateação com as acusações de ter fracassado como articulador político e com os apelidos que lhe foram atribuídos nos últimos dias, como “Tigre sem dentes” “Cheque sem fundo” e  “Jararaca banguela”.

A certa altura da conversa, o ex-presidente confessou sentir falta do marqueteiro João Santana (preso na Lava Jato) nestas horas e lamentou o surgimento do juiz Sérgio Moro em suas vidas.

Lula não se preocupou em demonstrar tristeza e frustração com os anúncios de apoio ao impeachment da presidente Dilma feitos por vários partidos com os quais negociava cargos e ministérios. O ex-presidente confidenciou que a situação do governo é mais difícil que imaginava e não escondeu sua preocupação tanto com a votação na Câmara quanto no Senado.

Apesar do clima pesado, o ex-presidente concordou com seus interlocutores sobre a necessidade de demonstrar confiança, sobretudo durante o encontro da manhã seguinte com a presidente Dilma no Palácio do Planalto, que deve contar com a presença dos 27 parlamentares que votaram contra o parecer do deputado Jovair Arantes (GO) na Comissão Especial do Impeachment, na qual o governo teve 38 votos contrários.

Lula não pode esquecer que Sérgio Moro poderá levar ele pra cadeia antes de tudo isso.

Compartilhe:

Comentários

* O Pensa Brasil não se responsabiliza pelo conteúdo dos comentários e se reserva o direito de eliminar, sem aviso prévio ao usuário, aqueles em desacordo com as normas do site ou com as leis brasileiras.

Mais Lidas

105