08/07/2016

16:51

Por: Alberto Silva

Fim do mistério, Irmão do ex-goleiro Bruno é indiciado no caso Eliza Samudio, entenda…

O ex-policial Marcos Aparecido dos Santos, o "Bola", foi condenado por homicídio e ocultação de cadáver. Além dele, também foram julgados o caseiro Elenilson Vitor da Silva e o motorista do atleta na época, Wemerson Marques de Souza, o “Coxinha”.


Warning: file_get_contents(https://free.sharedcount.com/?url=https%3A%2F%2Fpensabrasil.com%2Ffim-do-misteriobirmao-do-ex-goleiro-bruno-e-indiciado-no-caso-eliza-samudio-entenda%2F&apikey=a2ad8859171bb2d2344e31170cd248e9846315ac): failed to open stream: HTTP request failed! HTTP/1.1 401 Unauthorized in /home/pensabrasil/www/wp-content/themes/pensabrasilportal/inc/share-bar.php on line 10

O irmão do ex-goleiro Bruno Fernandes, condenado e preso pela morte de Eliza Samudio, Rodrigo Fernandes das Dores Souza, foi indiciado pelos crimes de sequestro e por tentativa de aborto.

O inquérito é da Delegacia Especial de Atendimento à Mulher (DEAM) de Jacarepaguá, no Rio de Janeiro, que visa investigar e e identificar a coautoria dos crimes acima mencionados, sofridos por Eliza Samúdio, pelos quais já haviam sido presos e indiciados Bruno Fernandes das Dores de Souza e Luiz Henrique Ferreira Romão, vulgo Macarrão.

De acordo com a Polícia Civil, há fortes indícios da participação de Rodrigo nos crimes contra Eliza. Com relação às declarações dadas à Polícia Civil do Piauí acerca do paradeiro dos restos mortais de Eliza Samudio, a DEAM informa que enviou uma cópia do termo ao Tribunal do Júri de Minas Gerais para providências cabíveis.

Embora Bruno tenha sido julgado pela Justiça de Minas, porque o crime teria sido praticado em um sítio do ex-atleta naquele Estado, a Polícia Civil do Rio também investiga as agressões sofridas por Eliza. Isso porque, cerca de um ano antes de desaparecer, ela própria tinha denunciado agressões à Delegacia Especial de Atendimento à Mulher (Deam) de Jacarepaguá (zona oeste).

Relembre

Em depoimento à Polícia Civil do Piauí, o irmão de Bruno afirmou que o corpo de Eliza foi ocultado em uma cidade de Minas, mas que só dará mais detalhes se for incluído em um programa de proteção de testemunhas. Ele também acusa mais duas pessoas de participar da morte de Eliza. O nome desses acusados ainda não foi divulgado.

Embora Bruno tenha sido julgado pela Justiça de Minas, porque o crime teria sido praticado em um sítio do ex-atleta naquele Estado, a Polícia Civil do Rio também investiga as agressões sofridas por Eliza. Isso porque, cerca de um ano antes de desaparecer, ela própria tinha denunciado agressões à Delegacia Especial de Atendimento à Mulher (Deam) de Jacarepaguá (zona oeste).

A morte de Eliza Samudio

O goleiro Bruno Fernandes foi condenado no dia 8 de março de 2013 a 22 anos e três meses pelo homicídio e ocultação de cadáver de sua ex-amante Eliza Samudio e pelo sequestro e cárcere privado de seu filho, o “Bruninho”.

Os crimes aconteceram em junho de 2010 e o atleta foi apontado como o mandante.

Além dele, outros réus envolvidos no crime foram julgados. O ex-braço direito de Bruno, Luiz Henrique Ferreira Romão, o “Macarrão”, foi condenado a 15 anos prisão por homicídio, sequestro e cárcere privado de Eliza Samudio. Já da acusação de ocultação de cadáver o réu foi absolvido.

Já a ex-namorada do goleiro, Fernanda Gomes de Souza foi condenada a cinco anos de prisão em regime aberto pelo crime de sequestro e cárcere privado de Eliza, enquanto a ex-mulher de Bruno, Dayanne Rodrigues, foi absolvida das acusações de sequestro de “Bruninho”.

O ex-policial Marcos Aparecido dos Santos, o “Bola”, foi condenado por homicídio e ocultação de cadáver. Além dele, também foram julgados o caseiro Elenilson Vitor da Silva e o motorista do atleta na época, Wemerson Marques de Souza, o “Coxinha”.

Compartilhe:

Comentários

* O Pensa Brasil não se responsabiliza pelo conteúdo dos comentários e se reserva o direito de eliminar, sem aviso prévio ao usuário, aqueles em desacordo com as normas do site ou com as leis brasileiras.

Mais Lidas

101