20/09/2016

15:25

Por: Alberto Silva

Carmen Migueles defende divisão de cargos por critérios técnicos

Candidata do Partido Novo concedeu entrevista ao vivo ao G1.
Ela também afirmou que pretende transformar favelas em condomínios

A candidata Carmen Migueles (Novo) afirmou nesta terça-feira (20) ao G1 que um de seus objetivos, caso seja eleita prefeita, é o de alocar recursos para que os principais cargos da administração pública sejam definidos de acordo com critérios técnicos entre servidores de carreira, e não de acordo com vontades de partidos.

A candidata participa de uma série de entrevistas com todos os candidatos à Prefeitura do Rio de Janeiro, que o G1 transmite ao vivo nesta semana.

Migueles afirmou que não existe um plano de demissão de servidores. “O que nós achamos é que podemos diminuir o número de secretarias e de cargos comissionados”, disse. “O Novo é contra as coalizões, nós queremos a competência da máquina.”

A candidata foi questionada ainda sobre se é contra ou a favor ideologia de gêneros. “Sou a favor da equidade entre os gêneros, que é apoiar a maternidade”, disse. Sobre seu programa de governo, de apenas duas páginas, Carmen afirmou que os partidos prometem o que não podem cumprir.

Segundo ela, a intenção é criar um plano de carreira para que os servidores ocupem os cargos que hoje são divididos entre os partidos. “Queremos trabalhar o máximo de competência e o máximo de tecnologia.”

A uma questão sobre o aplicativo Uber, a candidata afirmou que essas iniciativas não podem ser barradas. “Nós queremos desonerar os taxistas. Nós queremos acabar com o sistema de concessão, de diária”, disse. “Queremos modelos competitivos.”

A candidata também comentou sobre sua rejeição nas últimas pesquisas. Segundo ela, a população demonstra rejeição a qualquer político. “O Novo é um projeto de longo prazo. O cidadão está exaurido e cansou de acreditar. A gente está muito disposto a fazer esse trabalho de formiguinha”, afirmou.

A candidata foi questionada ainda sobre se é contra ou a favor ideologia de gêneros. “Sou a favor da equidade entre os gêneros, que é apoiar a maternidade”, disse.

Sobre seu programa de governo, de apenas duas páginas, Carmen afirmou que os partidos prometem o que não podem cumprir.

Já sobre um projeto para a moradia popular, ela afirma que pretende transformar as favelas em condomínios. Segundo ela, seria dado o direito de posse do solo e liberar para que a iniciativa privada troque o direito pelo uso por uma unidade em um apartamento.

“E você resolve esses problemas de saneamento e espaço a um custo muito mais baixo para a cidade”, disse. “A gente resolveria o problema com muito mais velocidade e qualidade.”

No último bloco, a candidata respondeu a uma pergunta sobre que tipo de impostos podem ser diminuídos. “Tem imposto em cascata em todos os produtos”, afirma. “Tem que ter uma análise do impacto da cadeia.”

Com relação à proposta para segurança, Migueles afirmou que o objetivo é integrar com mais inteligência a Guarda Municipal com a Polícia Militar e Civil. “A Guarda pode ter um sistema de inteligência sobre o território e cooperar”, afirmou. “Armas não letais.”

Compartilhe:

Comentários

* O Pensa Brasil não se responsabiliza pelo conteúdo dos comentários e se reserva o direito de eliminar, sem aviso prévio ao usuário, aqueles em desacordo com as normas do site ou com as leis brasileiras.

Mais Lidas

91