OutrosUncategorized

PF da um show neste final de ano, nova operação vai colocar hoje nove na cadeia – Pensa Brasil – Conectado com você

A Polícia Federal deflagrou nesta quinta-feira a operação Sangue Negro, que apura suspeitas de desvio de dinheiro na obtenção de contratos da Petrobras que teriam ocorrido desde 1997.

Warning: file_get_contents(https://free.sharedcount.com/?url=https%3A%2F%2Fpensabrasil.com%2Fpf-da-um-show-neste-final-de-ano-nova-operacao-vai-colocar-hoje-nove-na-cadeia%2F&apikey=a2ad8859171bb2d2344e31170cd248e9846315ac): failed to open stream: no suitable wrapper could be found in /home/pensabrasil/public_html/wp-content/themes/pensabrasilportal/inc/share-bar.php on line 10

Segundo nota da PF, a investigação começou antes da Operação Lava Jato, que também apura um esquema de corrupção montado na estatal brasileira, e tem alvos em comum. Ao todo, a polícia cumpre nove mandados judiciais: quatro de prisão preventiva e cinco de busca e apreensão no Rio de Janeiro, Angra (RJ) e Curitiba. Dois dos mandados de prisão foram expedidos contra pessoas já presas pela Lava Jato em Curitiba. São elas: o ex-diretor de Serviços da Petrobras, Renato Duque, que é ligado ao PT; e o ex-diretor da área Internacional Jorge Zelada, ligado ao vice-presidente Michel Temer, segundo informações do jornal O Estado de S. Paulo. A Sangue Negro mira contratos firmados entre a Petrobras e a empresa holandesa SBM Offshore, uma das maiores fabricantes de plataformas marítimas de exploração de petróleo do mundo. Segundo a PF, uma empresa que fazia a ponte entre as duas companhias recebia repasses da ordem de 3% a 5% dos contratos. “Esse dinheiro retornava em forma de pagamento de propinas”, disse a PF. A operação investiga crimes de sonegação fiscal, evasão de divisas, desvio de recursos públicos, lavagem de dinheiro, entre outros. SBM – A multinacional holandesa contrói e opera plataformas para petroleiras do mundo todo. No Brasil, a empresa tem contratos com a Petrobras que somam pelo menos 27 bilhões de reais. A relação comercial entre as duas empresas começou em 1996.

Em delação premiada à força-tarefa da Lava Jato, o ex-gerente da Petrobras Pedro Barusco relatou que a empresa holandesa pagava propina em troca de benefícios em licitações. Barusco confessou ainda que pediu a Júlio Faerman, representante da SBM no Brasil, que desse um “reforço” de 300.000 dólares para a campanha presidencial da presidente Dilma Rousseff em 2010. Considerado uma das peças-chaves para desvendar o petrolão, Faerman também assinou um acordo de delação premiada com o Ministério Público Federal, no qual concordou em repatriar 54 milhões de dólares que estavam depositados em bancos suíços.

Related posts

“Virou caso de Policia” PF abre inquérito sobre irregularidades em campanha de Dilma

admin

“FRIBOI” vai faturar muito mais com alta do dólar !!

admin

Urgente, Brasil entra em estado de ALERTA e FAB envia seus caças para Roraima

admin