OutrosUncategorized

PF agora quer 'Palocci' para isso vai fazer acareação entre Bumlai e lobista Fernando Baiano – Pensa Brasil – Conectado com você

A Polícia Federal pretende promover uma acareação no início de janeiro entre o pecuarista José Carlos Bumlai e o lobista Fernando Baiano para esclarecer o papel do ex-ministro da Casa Civil Antonio Palocci, homem forte dos governos Lula e Dilma, na arrecadação de propina utilizada na campanha da petista em 2010. Bumlai depôs nesta terça-feira nas investigações sobre a atuação de Palocci no escândalo do petrolão e negou ter promovido uma aproximação entre o ex-ministro e o ex-diretor de Abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa para a discussão de dinheiro sujo ao processo eleitoral.

Warning: file_get_contents(https://free.sharedcount.com/?url=https%3A%2F%2Fpensabrasil.com%2Fpf-agora-quer-palocci-para-isso-vai-fazer-acariacao-entre-bumlai-e-lobista-fernando-baiano%2F&apikey=a2ad8859171bb2d2344e31170cd248e9846315ac): failed to open stream: no suitable wrapper could be found in /home/pensabrasil/public_html/wp-content/themes/pensabrasilportal/inc/share-bar.php on line 10

Em acordo de delação premiada, o lobista Fernando Baiano disse à força-tarefa da Lava Jato que o pecuarista amigo do ex-presidente Lula agendou a reunião em que Palocci teria pedido 2 milhões de reais para a campanha de Dilma em troca do apoio do PT à permanência de Costa no cargo de cúpula da Petrobras. Na versão de Bumlai, porém, ele próprio só se encontrava com Palocci “de vez em quando” e durante reuniões do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social (CDES), grupo de empresários e autoridades que se reunia no governo Lula para discutir propostas de políticas públicas.

Em novo depoimento à Polícia Federal, Bumlai disse que tinha apenas “relações comerciais” com Fernando Baiano. Voltou a comentar que é amigo do ex-presidente Lula e negou ter laços de amizade com políticos do PT.

O caso de Antonio Palocci tramita na 1ª instância, em Curitiba, porque o petista não tem direito a foro privilegiado. Em março, o ministro Teori Zavascki, do Supremo Tribunal Federal (STF), havia determinado que fossem enviadas para o juiz Sergio Moro as suspeitas de que o ex-ministro arrecadou propina para a campanha presidencial de 2010.

Em acordo de delação premiada, o ex-diretor Paulo Roberto Costa afirmou que, em 2010, o doleiro Alberto Youssef intermediou, em nome de Palocci, propina de 2 milhões de reais para a campanha de Dilma. Os valores deveriam ser retirados da propina de 2% cobrada pelo Partido Progressista (PP) em contratos com a Petrobras. “No ano de 2010, [Paulo Roberto] acredita que quando Antonio Palocci já não ocupava nenhum cargo no governo federal, recebeu uma solicitação, por meio de Alberto Youssef, para que fossem liberados 2 milhões de reais do caixa do PP, para a campanha presidencial de Dilma Rousseff”, diz trecho da delação do ex-diretor da petroleira.

“O declarante autorizou referida entrega, sendo que Youssef operacionalizou o pagamento e confirmou ao declarante posteriormente”, afirmou Costa ao Ministério Público. O doleiro Alberto Youssef, porém, contestou oficialmente a versão. A defesa de Antonio Palocci nega as acusações.

(Via agência)

Related posts

Mulher arranca partes do corpo para ficar parecida com uma cascavel

admin

Eliminado do BBB16, Laércio, faz revelação bombástica no programa MAIS VOCÊ !

admin

Rafaella Santos Irmã de Neymar aparece semi nua, jogador confessa: “Tenho um pouco de ciúmes”

admin