OutrosUncategorized

O casal “Petrolão” será julgado hoje e pode ir pra cadeia, Gleisi Hoffmann (PT) e seu marido, veja tudo aqui..

Casal é investigado na Operação Lava Jato por receber R$ 1 milhão de propina em contratos da Petrobras para a campanha da senadora em 2010

Hoje a cela da carceragem em Curitiba poderá ganhar mais alguns visitantes. Após vários adiamentos, a Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) marcou para a próxima terça-feira (27) o julgamento da denúncia apresentada pela Procuradoria-Geral da República (PGR) contra a senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR) e seu marido, o ex-ministro do Planejamento Paulo Bernardo. aqui

Em maio, Gleisi Hoffmann e Paulo Bernardo foram denunciados ao Supremo sob a acusação de terem recebido R$ 1 milhão para campanha da senadora em 2010. De acordo com depoimentos de delatores na Operação Lava Jato, o valor é oriundo de recursos desviados de contratos da Petrobras. Ambos foram citados nas delações do doleiro Alberto Youssef.

A denúncia contra Gleisi e o marido ao Supremo foi apresentada por Rodrigo Janot, procurador-geral da República. O casal foi indiciado pela Polícia Federal (PF) por corrupção passiva.

Em maio, Gleisi Hoffmann e Paulo Bernardo foram denunciados ao Supremo sob a acusação de terem recebido R$ 1 milhão para campanha da senadora em 2010. De acordo com depoimentos de delatores na Operação Lava Jato, o valor é oriundo de recursos desviados de contratos da Petrobras. Ambos foram citados nas delações do doleiro Alberto Youssef.

A PF sustenta que Paulo Bernardo pediu o dinheiro a Paulo Roberto Costa. Durante dez anos, Costa comandou a Diretoria de Abastecimento da estatal petrolífera. Indicado pelo PP para o cargo, foi o precursor do esquema de propinas na Petrobras, segundo a força-tarefa da Lava Jato.

A operação de entrega dos recursos para a campanha de Gleisi ficou a cargo do doleiro Yousseff, de acordo com as investigações. O dinheiro teria sido repassado por um empresário de Curitiba. A PF concluiu que Paulo Bernardo sabia da origem ilícita do dinheiro.

Quando a Procuradoria denunciou Gleisi e Paulo Bernardo ao Supremo, a defesa da senadora e do ex-­ministro rechaçou a acusação. “Todas as provas que constam no inquérito comprovam que não houve solicitação, entrega ou recebimento de nenhum valor por parte da senadora”, destacaram, na ocasião, os advogados Verônica Sterman e Rodrigo Mudrovitsch. “A denúncia sequer aponta qualquer ato concreto cometido. Baseia­-se apenas em especulações que não são compatíveis com o que se espera de uma acusação penal”, disseram.

Os advogados anotaram ainda que “são inúmeras as contradições nos depoimentos dos delatores que embasam a denúncia, as quais tiram toda a credibilidade das supostas delações”. “Um deles apresentou nada mais, nada menos do que seis versões diferentes para esses fatos, o que comprova ainda mais que eles não existiram”, afirmaram.

“As referências ao ex­-ministro Paulo Bernardo na denúncia baseiam­-se em declarações contraditórias e inverossímeis. Não houve qualquer envolvimento dele com os fatos narrados na denúncia. Demonstraremos isso com veemência e acreditamos que a denúncia não pode ser recebida”, finalizaram os defensores do ex-ministro e da senadora Gleisi Hoffmann

Related posts

Calcule aqui seu peso corporal

admin

PENSA BRASIL

admin

'Acervo' Veja como foi em 1964, na ultima hora, no último momento as FFAA entram em ação

admin