OutrosUncategorized

Justiça pode tirar Alckmin da corrida presidencial por ser ficha suja

A publicação explica que o tucano separou sua defesa da de Doria e de Bruno Covas

O pedido de inelegibilidade do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), por abuso de poder político na campanha de João Doria não deve ser julgado agora. aqui

A coluna Painel, da Folha de S. Paulo, destaca que o Ministério Público prevê que a solicitação chegará ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) próximo ao início da campanha de 2018, após ser recusado nas duas instâncias em São Paulo, o que levará a Procuradoria recorra à corte superior pouco antes das eleições.

A publicação explica que o tucano separou sua defesa da de Doria e de Bruno Covas – ambos também são alvos da mesma ação – e contratou José Eduardo Alckmin.

Segundo os advogados de Alckmin, é “assombroso” o paralelo entre a nomeação de um membro do PP para o secretariado paulista

João Doria e seu vice são defendidos por Anderson Pomini, que atuou na campanha.

Segundo os advogados de Alckmin, é “assombroso” o paralelo entre a nomeação de um membro do PP para o secretariado paulista (que é apontada como relacionada à troca de apoio político para o tucano) e a indicação do ex-presidente Lula para o ministério da ex-presidente Dilma Rousseff.

Além disso, o Palácio dos Bandeirantes afirma que “não houve relação entre eleições e medidas de governo” e que a ação é improcedente.

“Por não ter misturado governo e máquina partidária, Alckmin constituiu o advogado que o defende há décadas”, diz a peça encaminhada à Justiça.

(Via Agencia)

Related posts

PF deflagra nova fase de operação que apura desvios em campanha do PT em Minas Gerais

admin

Veja aqui como fazer um delicioso “arroz com bacalhau”

admin

Falta de educação:Três novos participantes do bbb16 dão aula de deselegância

admin