10/01/2017

16:59

Por: Alberto Silva

Zezé Di Camargo quer R$ 800 mil de danos morais, processo é contra a VEJA

E não para por ai, a Revista Veja continua denegrindo imagem de pessoas a todos vapor. Isso mostra o desespero de uma empresa que não consegue entrar no mundo das mídias sociais. O Jeito é apelar - "Me paga que eu posto"

Pois é, mais uma vez a REVISTA VEJA mostra ser um grande veiculo mentiroso que apenas gosta de denegrir a imagem das pessoas. Agora é o cantor Zezé Di Camargo que processa a revista e pede 800 mil por danos morais. Isso é mais um possível indicio de que a revista está com seu fim declarado.  O cantor Zezé Di Camargo quer do jornalista Leo Dias cerca de R$ 800 mil reais por danos morais. A informação é do processo que chegou ao Supremo Tribunal Federal (STF), de acordo com a revista Veja.

Em 2010, Zezé moveu um processo contra o jornal Extra e o repórter Leo Dias por terem publicado que uma das filhas de Mariana Kupfer seria dele. Na época, Mariana usou o blog para classificar o boato como ‘malicioso’. O cantor também desmentiu.

“Tomei um susto ao saber de algumas notícias muito maldosas e sem fundamento que andaram tentando ‘ventilar por aí’. O cantor Zezé Di Camargo definitivamente não é o pai da minha filha. Não o conheço, embora respeite muito sua trajetória profissional. Sequer tenho contato com ele. O pai da minha filha não é famoso nem sequer conhecido”, escreveu Kupfer.

Tomei um susto ao saber de algumas notícias muito maldosas e sem fundamento que andaram tentando ‘ventilar por aí’. O cantor Zezé Di Camargo definitivamente não é o pai da minha filha. Não o conheço, embora respeite muito sua trajetória profissional. Sequer tenho contato com ele. O pai da minha filha não é famoso nem sequer conhecido

Já em 2011, o jornal Extra recorreu e conseguiu uma posição favorável da Justiça, mas Zezé Di Camargo recorreu da decisão e venceu o processo. Segundo a decisão, o jornal e o colunista “extrapolaram os limites da simples informação ao divulgarem notícia anônima, cuja veracidade sequer poderia ser certificada, com o claro intuito de fabricar notícia e chamar a atenção do público, aumentando as vendas dos exemplares do jornal em comento”.

E não para por ai, a Revista Veja continua denegrindo imagem de pessoas a todos vapor. Isso mostra o desespero de uma empresa que não consegue entrar no mundo das mídias sociais. O Jeito é apelar – “Me paga que eu posto”

Compartilhe:

Comentários

* O Pensa Brasil não se responsabiliza pelo conteúdo dos comentários e se reserva o direito de eliminar, sem aviso prévio ao usuário, aqueles em desacordo com as normas do site ou com as leis brasileiras.

Mais Lidas

96