"> ?> Vítima do Estado Islâmico vira caçador de terrorista - Pensa Brasil - Em busca da notícia

11/08/2017

19:04

Por: Danielle Pereira

Vítima do Estado Islâmico vira caçador de terrorista

Refugiado curdo vira ajuda na investigação contra o Estado Islâmico

Vítima do Estado Islâmico vira caçador de terrorista

O jornalista curdo, Masoud Aqil , foi prisioneiro dos islamistas entre os anos de 2014 e 2015. Ele ficou aprisionado em 6 cárceres diferentes na Síria, com seu colega, Farhad Hamo.

Aqil foi sequestrado enquanto caminhava para uma entrevista, no dia 15 de dezembro de 2014. Naquela época, o local onde o jornalista estava; Rojava, no noroeste sírio; era controlado pelo grupo curdo Unidades de Defesa Popular (YPG).

No início do ano de 2016, o jovem de 24 anos se viu refugiado na Alemanha.

Acredita-se que o El foi avisado sobre a passagem dos dois jornalistas, tomando atitude de sequestro. Masou e Hamo eram conhecidos no local devido às reportagens feitas nas regiões para um canal de TV. Eles falavam sobre temas políticos e sociais e sobre o desenvolvimento da guerra civil. Isso pode ter chamado a atenção do grupo Islâmico.

Na ocasião, o povo Rojava estava passando por um processo de estabilização em seu território. A ideia era se estabelecer como principal adversário do El. Em grande parte, o processo se devia ao fato de que a região era a única a receber ajuda de fora do país.

Vítima do Estado Islâmico vira caçador de terrorista

Ao conseguir escapar das mãos de terroristas, Masoud foi para a Europa, carregando diversas informações importantes, inclusive sobre possíveis terroristas aliados ao Estado Islâmico. Ele tentou buscar um perfil do Facebook de um suposto apoiador do El que publicava sua opinião sobre seus pontos de vistas radicais. Apesar da busca, o jornalista não conseguiu acessar o perfil.

No início do ano de 2016, o jovem de 24 anos se viu refugiado na Alemanha. Lá ele conseguiu constatar que o grupo terrorista também já havia alcançado a Europa.

Os membros do El acreditavam que o curdo não iria sobreviver. Assim, eles começaram a falar abertamente sobre seus planos e seus assassinatos. Devido às confissões, Aqil conseguiu obter informações valiosas que estão sendo utilizadas nas investigações alemãs. Agora, dados passados por refugiados estão sendo ponte para ampliar as investigações contra os terroristas.

 

 

 

 

 

 

Galeria
Mundo |
1 de 5
Vítima do Estado Islâmico vira caçador de terrorista

Compartilhe:

Comentários

* O Pensa Brasil não se responsabiliza pelo conteúdo dos comentários e se reserva o direito de eliminar, sem aviso prévio ao usuário, aqueles em desacordo com as normas do site ou com as leis brasileiras.

Mais Lidas

102