14/03/2017

11:15

Por: Alberto Silva

VERGONHA: De surpresa, suspeitos da Lava Jato são presos pela PF. VEJA quem são os corruptos!

Hoje, a Polícia Federal executou a segunda fase da Operação Lava Jato. Trata-se da Operação Tolypeutes, á qual prendeu dois suspeitos de cobrança de propina na construção de um dos metrôs do Rio de Janeiro, no governo de Sergio Cabral.

Nesta terça-feira, hoje (14), a Polícia Federal prendeu, de surpresa, duas pessoas acusadas de corrupção por cobrarem propina em contratos de obras de infraestrutura no Rio de Janeiro, em especial na construção da Linha 4 do #metrô, inaugurada para os Jogos Olímpicos do ano passado.

De acordo cm fontes da #PF, foram presos o ex-subsecretário de Transportes do Governo do Rio Luiz Carlos Velloso e o diretor da Companhia de Transporte sobre Trilhos do Estado (Riotrilhos), Heitor Lopes de Souza.

O site ‘Msn’ divulgou as seguintes informações: [“A chamada operação Tolypeutes, nova fase da Lava Jato no Rio, amplia as investigações sobre o grupo criminoso que teria como cabeça o ex-governador Sérgio Cabral, preso desde o ano passado acusado de receber milhões em propina no Brasil e no exterior. Além das prisões, foram cumpridos 13 mandados de busca e apreensão e três mandados de condução coercitiva, expedidos pela 7ª Vara Federal Criminal do RJ.”]

A investigação aponta que, de 2010 a 2013, Heitor recebeu propina no valor de R$ 5,4 milhões de duas empresas".

Segundo informações do site ‘Terra’, a #investigação aponta que, de 2010 a 2013, Heitor recebeu propina no valor de R$ 5,4 milhões de duas empresas. Ao todo, foram 31 transferências de recursos. Uma das empresas que pagou foi a MClink Engenharia, que atuou no trecho oeste da linha 4 do Metrô.
Mandados de condução coercitiva são contra Luciana Cavalcante Gonçalves Maia (companheira de Heitor e socia da empresa Arquimetro Arquitetura e Consultoria); Jean Louis de Billy (sócio da Arqline Arquitetura e consultoria e da Arqmetro arquitetura e consultoria), Manoel José Salino Cortes (sócio-administrador da MC Link Engenharia Ltda.), Patrícia Gomes Cavalcante (gerente do banco Santander), Renata Loureiro Borges Monteiro (companheira de Luiz Carlos Velloso, sócia da Zillion assessoria e consultoria empresarial), Juscelino Gil Velloso (irmão de Luiz Carlos Velloso), Patricia Franco de Moraes Rego (ex-mulher de Luiz Carlos Velloso).

O nome da operação, #Tolypeutes  (nome científico do tatu), é uma referência ao “Tatuzão”, equipamento utilizado nas escavações das obras do metrô.

 

[Via Agência de Notícias.]

Compartilhe:

Comentários

* O Pensa Brasil não se responsabiliza pelo conteúdo dos comentários e se reserva o direito de eliminar, sem aviso prévio ao usuário, aqueles em desacordo com as normas do site ou com as leis brasileiras.

Mais Lidas

79

Clique aqui