15/12/2015

18:21

Por: Alberto Silva

Veja aqui, passo a passo como foi a Nova Operação da PF, as 8:00 desconfiado, Cunha estava acordado quando PF chegou à sua residência.

A Polícia Federal deflagrou nesta terça-feira (15) nova fase da Operação Lava Jato que mira os presidentes da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), o deputado Aníbal Gomes (PMDB-CE) e os senadores Fernando Collor (PTB-AL) e Fernando Bezerra (PSB-PE).

Nova fase da Lava Jato investiga e pode colocar na cadeia  Cunha, Renan e Collor.

Ao todo, a foram emitidos 53 mandados de busca e apreensão em São Paulo (15), Distrito Federal (9), Pernambuco (4), Pará (6), Rio Grande do Norte (1), Ceará (2) e Alagoas (2), referentes a sete processos instaurados na Lava Jato.

  • 15h49 Desconfiado, Cunha estava acordado quando PF chegou à sua residência.
  • 15h22 Imagem

    O presidente da câmara dos deputados Eduardo Cunha (PMDB-RJ) deixa a residência oficial da Câmara, acompanhado de deputados aliados, antes de fazer seu pronunciamento à imprensa, agora à tarde.

  • 15h19 Agentes da PF apreendem R$ 100 mil em loja de parente de Eduardo Campos. A apreensão do material faz parte da Operação Catilinárias.
  • 15h13 Eduardo Cunha disse considerar “nula” a decisão desta terça do Conselho de Ética de dar continuidade ao seu processo de cassação.
  • 15h11 Na tentativa de inviabilizar o retorno de Leonardo Picciani (RJ) à liderança do partido na Câmara dos Deputados, o PMDB publicará resolução que obrigará que novas filiações de deputados e senadores sejam aprovadas anteriormente pelo comando nacional do partido. Leia mais.
  • 14h56 “Não me parece que ninguém do PT que tenha o foro que eu tenho esteja sujeito a esse tipo de operação”, afirmou o presidente da Câmara. Cunha também reiterou que não há chances de ele renunciar a seu cargo.
  • 14h54 Cunha afirmou que o governo tenta desviar o foco do processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff e do escândalo da Petrobras com as ações da Polícia Federal contra ele e o PMDB.
  • 14h53 Cunha disse que a operação da Polícia Federal causa “muita estranheza”. “A gente está às vésperas do processo de impeachment e de repente deflagram essa operação, de uma forma um pouco estranha”, disse. “No dia do Conselho de Ética, na véspera da deflagração do impeachment, uma operação focada no PMDB?”, questionou.
  • 14h53 Em declaração à imprensa na Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha disse que não via “nenhum problema, nada demais” no fato de a Polícia Federal ter cumprido mandado de busca e apreensão em sua casa.
  • 14h42 

    Em São Paulo, todos os mandados de busca e apreensão já foram cumpridos e o material será levado para Brasília ainda nesta terça.

    Além de malotes com documentos e mídia foram arrecadados 60 mil reais, 43 mil dólares e 9 mil euros só nas buscas na capital paulista.

    • 14h40 Imagem

      Policiais Legislativos isolam o acesso à diretoria geral da Câmara dos Deputados, onde agentes da PF fazem ação.

    • 14h36 Eduardo Cunha acabou de deixar a residência oficial da Presidência da Câmara e segue para o Congresso.
    • 14h36 Em inauguração de museu em Mina Gerais, Dilma não fala sobre operação contra ministros e Cunha. Antes do evento, o museu teve o entorno isolado e vias de acesso controladas pela Polícia Militar. Leia mais.
    • 14h17 Wagner Moura, o Capitão Nascimento, visita gabinete de Renan no Senado. Segundo pessoas que acompanharam a mobilização dentro da Presidência do Senado, Moura foi ao Parlamento defender ações da comissão de Direitos Humanos.
    • 14h13 Às 14h05 chegaram à casa de Cunha os deputados do DEM Rodrigo Maia (RJ) e Eumar Nascimento (BA). Pouco antes, saiu o deputado Paulinho, que disse aos jornalistas na frente da casa que só iria se pronunciar na Câmara dos Deputados.
    • 13h35 Um grupo de políticos foi almoçar na casa do presidente da Câmara, Eduardo Cunha, menos de duas horas depois de a Operação Catilinárias ter cumprido mandado de busca e apreensão no imóvel. Chegaram para a reunião Dudu da Fonte (PP-PE), que também é alvo de um inquérito na Operação Lava Jato por suposto envolvimento em corrupção, Paulo Pereira da Silva (SD-SP), André Moura (PSC-SE), Domingos Neto (PMB), Marcelo Aro (PMB-CE), Jovair Arantes (PTB-GO), e Maurício Quintella (PR-AL), além do ex-deputado Sandro Mabel e do ex-governador do DF Rogério Rosso, hoje deputado líder do PSD.

      O almoço às terças-feiras entre Cunha e líderes aliados no Congresso tem sido feito há meses pelo presidente da Casa. Ele manteve o compromisso desta terça-feira. O próximo compromisso de Cunha está marcado para as 14:30 na Câmara, em reunião de líderes.

    • 13h18 A Polícia Federal cumpre mandado de busca e apreensão neste momento no gabinete parlamentar do deputado federal Aníbal Gomes (PMDB-CE) na Câmara dos Deputados. Ele é investigado junto com o presidente do Senado Federal, Renan Calheiros (PMDB-AL), mas virou alvo de uma ação em separado por ter confessado um crime eleitoral no depoimento prestado aos investigadores da Polícia Federal.
    • 13h06 Em nota, o senador Fernando Bezerra (PSB-PE) afirmou que reitera sua confiança na Polícia Federal e acredita no pleno esclarecimento dos fatos.

      “A ação desta terça-feira (15) ocorreu no escritório político de Fernando Bezerra Coelho em Petrolina (PE). O senador reitera sua confiança no trabalho das autoridades que conduzem este processo investigatório, acreditando no pleno esclarecimento dos fatos, e continua, como sempre esteve, à disposição para colaborar com os ritos processuais e fornecer todas as informações que lhe forem demandadas”, disse em nota.

    • 13h02 Conselho de Ética – Depois de mais de dois meses do protocolo da representação e após sete adiamentos, o Conselho de Ética conseguiu aprovar parecer preliminar que dá sequência ao processo de cassação contra o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ). Confira como foi a sessão.
    • 12h43 

      Imagem

      O empresário Lucio Bolonha Funaro durante sessão da CPI das ONGs no Senado, em 2010 | Crédito: Lula Marques/Folhapress

      • 14h24 Em São Paulo, um dos alvos da busca foi o escritório do empresário Lucio Bolonha Funaro, ligado ao presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ). Cunha e deputados ligados ao peemedebista são acusados de perseguir empresas do grupo Schahin a pedido de Funaro. A suposta perseguição se daria por meio de pedidos excessivos, de interesse de Funaro, para a Schahin dar explicações sobre temas diversos e teria chegado até a CPI da Petrobras, onde Schahin e EIT são investigadas por suspeita de participação na Operação Lava Jato.

        Um exemplo da atuação de Funaro junto à Câmara seria um requerimento feito em 2009 pela ex-deputada federal Solange Almeida (PMDB-RJ), aliada de Cunha, para a Schahin prestar esclarecimentos sobre o rompimento da barragem de uma usina hidrelétrica de Apertadinho, em construção em Rondônia, que causou danos ambientais há sete anos em uma área de 1.324 hectares e até hoje segue sem punição. Os Schahin e Funaro travavam uma disputa empresarial em torno da usina.

        O deputado Eduardo Cunha chegou a morar, sem pagar aluguel, em um apartamento pertencente a Funaro em Brasília.

      • 12h26 Por volta das 12h20, o ministro do STF ( Supremo Tribunal Federal) Luiz Fux foi até o gabinete da Presidência do Senado. A visita, ele afirma, não tem nada a ver com a nova fase da Operação Lava Jato, deflagrada na manhã desta terça (15). “Vim para discutir o novo CPC (Código de Processo Civil). Já estava agendado, então…”

        O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL)), é um dos alvos da investigação promovida pelo Ministério Público Federal e a Polícia Federal.

      • 12h02 Imagem
      • 11h54 Imagem

        Agentes da PF fazem busca e apreensão na residência do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB), em Brasília | Crédito: Pedro Ladeira/Folhapress

      • 11h51 As buscas da Policia Federal e da Procuradoria-Geral da República na residência oficial do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), acabaram às 11h25. Foram mais de cinco horas de trabalho no qual os investigadores saíram carregando pelo menos três malotes com material apreendido. Três celulares do parlamentar também foram apreendidos.
      • 11h45 Um dos braços direitos de Paulinho da Força na Câmara dos Deputados, o deputado Áureo Lídio Ribeiro (SDD-RJ) e o prefeito de Nova Iguaçu (RJ), Nelson Bornier (PMDB), tiveram as casas revistadas por agentes da PF. Os dois já foram investigados juntos pela Polícia Federal em um caso de corrupção no município da região metropolitana do Rio, mas o inquérito não se transformou em ação penal porque o procurador-geral da República não encontrou elementos suficientes para denunciá-los por corrupção passiva e tráfico de influência e pediu o arquivamento.

        Em uma entrevista no ano passado, Áureo também admitiu que a adesão do partido Solidariedade à campanha do governador Luiz Fernando Pezão (PMDB) dependia de uma doação de R$ 13 milhões da Odebrecht. À época, a empresa, o Solidariedade e a campanha de Pezão negaram vinculação entre o pagamento ao apoio político. O deputado recuou. Procurado no gabinete em Brasília, Áureo disse, por meio de assessoria, que só vai se manifestar após conhecer detalhes da decisão que autorizou a busca e apreensão em sua casa.

      • 11h40 Conselho de Ética – O conselho rejeitou adiar mais uma vez a votação da continuidade ou não do processo de cassação contra Eduardo Cunha (PMDB-RJ). Aliados do peemedebista queriam a protelação sob o argumento de que a troca de relator leva o processo à estaca zero.

        O presidente do Conselho, José Carlos Araújo (PSD-BA), negou novo pedido de vista ao novo parecer, feito pelo deputado Genecias Noronha (SD-CE). Sua decisão foi ratificada pelo Conselho por 11 votos a 9. Acompanhe ao vivo (clique aqui) a sessão do Conselho de Ética da Câmara dos Deputados.

      • 11h36 Nos bastidores, a nova fase da Operação Lava Jato, que atingiu em cheio o PMDB, partido do vice-presidente Michel Temer e maior sigla da base aliada ao governo, preocupa. Ministros admitem que a Lava Jato se tornou fato “imponderável” para o governo e que a presidente Dilma e sua equipe têm dificuldade para se blindar dos efeitos das investigações.

        A avaliação é a de que, além de lidar com a crise política e econômica, o Planalto vai enfrentar agora o acirramento da disputa com o PMDB e será ainda mais fustigado por Cunha, que, apesar de ser alvo de busca e apreensão, permanece como presidente da Câmara dos Deputados.

      • 11h32 Na residência do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), a Polícia Federal confirmou a apreensão de três celulares. Ele mora na Península dos Ministros, onde fica a residência oficial da presidência da Câmara.
      • 11h29 

        A Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República diz, em nota, que o “governo federal espera que todos os fatos investigados na nova fase da Operação Lava Jato, envolvendo ministros de estado e outras autoridades, sejam esclarecidos o mais breve possível e que a verdade se estabeleça. Que todos investigados possam apresentar suas defesas dentro do princípio do contraditório e que esse processo fortaleça as instituições brasileiras.”

        • 11h23 O PSOL divulgou uma nota (Leia a íntegra abaixo ) em que chama de vergonhoso o fato de haver policiais residência oficial do presidente da Câmara , Eduardo Cunha (PMDB-RJ). Na nota, o partido diz aplaudir a ação da PF. O PSOL afirma ainda que Cunha não tem condições de ocupar a Presidência da Câmara.

          O PSOL aplaude a ação de busca e apreensão da Polícia Federal, respaldada legalmente, nas dependências da Câmara dos Deputados e residências dos deputados Eduardo Cunha, Aníbal Gomes, Eduardo da Fonte e Áureo e outros agentes públicos. Que ela vá fundo! É especialmente vergonhoso para o País ter a presença da polícia na residência oficial do presidente da CD, e não para apurar ação de meliantes externos. A permanência de Eduardo Cunha na presidência da CD é uma ofensa à Nação! Em Carta Aberta aos ministros do Supremo Tribunal Federal, os deputados do PSOL e de diversos partidos manifestarão, ainda hoje, esta opinião – expressão de um clamor público que chegou ao seu ápice.

        • 11h18 O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, chegou a pedir buscas e apreensões na casa do presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), mas o ministro do STF Teori Zavascki, relator da Lava Jato, negou.

          Uma série de nomes ligados a Renan Calheiros também está no foco da operação como o deputado Aníbal Gomes (PMDB-CE), que se apresentava como seu preposto segundo as investigações da Lava Jato. Até aqui, Renan se vendia como aliado central contra o impeachment de Dilma. Sob fogo, é questionável se irá manter a mesma disposição, já que sempre fez coro a Cunha nas acusações de que a Procuradoria-Geral da República age seletivamente e sob influência do Planalto.

        • 11h15 Imagem

          O senador Ronaldo Caiado (DEM) | Crédito: Sérgio Lima – 17.mar.2015/Folhapress

        • 11h12 Com a deflagração de mais uma operação da Polícia Federal, agora com o alvo sobre o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), o senador Ronaldo Caiado (GO), líder do DEM no Senado, defendeu nesta terça (15) a antecipação das eleições para as presidências da Câmara e do Senado. O mandato dos presidentes é de dois anos. Cunha e o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), foram eleitos no início deste ano.

          “Diante do quadro instalado, com as lideranças expressivas dos dois principais partidos de sustentação ao governo envolvidos em todas essas denúncias, nada é mais atual do que avançarmos para uma antecipação das eleições do Congresso e da Presidência [da República]. Não existe governabilidade. Não tem como conviver com uma situação insustentável como essa. Ou nós buscamos uma solução para a crise, ou ela vai engolir o país”, disse.

        • 11h02 Outro alvo da operação da Polícia Federal, no Rio, é o deputado Alexandre Santos (PMDB-RJ). O parlamentar foi citado nos depoimentos do lobista e delator Fernando Antônio Falcão Soares, o Fernando Baiano, por sua suposta influência em uma das diretorias da Petrobras, de acordo com reportagem do jornal “O Estado de S. Paulo”. Santos foi filiado ao PSDB entre 1994 e 2003, mudou para o PP entre 2003 e 2005, e desde então está no PMDB. Baiano disse que foi apresentado por Alexandre Santos a Eduardo Cunha, em 2009.
        • 10h59 Imagem

          Rio PF cumpre mandato de busca e apreensão na casa do deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), na zona leste do Rio de Janeiro | Crédito: Ricardo Borges/Folhapress

        • 10h56 Na residência oficial do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), a Polícia Federal apreendeu um celular e, também, realizou buscas na diretoria-geral da Câmara, órgão responsável por fechar contratos e ordenar despesas. Os agentes da PF estiveram também no escritório mantido por Cunha no Edifício De Paoli, na avenida Nilo Peçanha, no centro do Rio. É o mesmo prédio onde fica a filial do Rio da empreiteira UTC.

          Fábio Cleto, aliado de Cunha que ocupava uma das vice-presidências da Caixa Econômica Federal até a semana passada, também foi alvo de busca, em São Paulo. Ele é um dos principais operadores do presidente da Câmara.

        • 10h45 Integrantes do governo Dilma Rousseff avaliaram que o cumprimento nesta terça-feira (15) de mandados de busca e apreensão na residência oficial do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), e dos ministros Celso Pansera (Ciência e Tecnologia) e Henrique Eduardo Alves (Turismo), ambos do PMDB, aumenta ainda mais instabilidade política no país.

          Oficialmente, o Palácio do Planalto deve se posicionar dizendo que o governo espera que todos os fatos sejam apurados e esclarecidos, com direito de defesa a todos os envolvidos. Nos bastidores, porém, a nova fase da Operação Lava Jato, que atingiu em cheio o PMDB, partido do vice-presidente Michel Temer e maior sigla da base aliada ao governo, preocupa.

        • 10h38 Crítico do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), o líder do PSOL na Casa Legislativa, Chico Alencar (RJ), é um dos autores da representação que pede a cassação do mandato do peemedebista por quebra de decoro parlamentar.

          Em sua conta no Twitter, o parlamentar lembrou quando em julho, depois de a Polícia Federal ter realizado ações de busca e apreensão na residência de três senadores investigados na Lava Jato, Cunha fez uma provocação ao dizer que a corporação pode ir à sua casa “a hora que quiser”.

          Na ocasião, Cunha disse: “Eu não sei o que eles querem comigo, mas a porta da minha casa está aberta. Vão a hora que quiser. Eu acordo às 6h. Que não cheguem antes das 6h para não me acordar”.

        • 10h26 

          Análise: Igor Gielow – A operação da Polícia Federal na casa de Eduardo Cunha pode parecer um presente para a aniversariante da véspera, Dilma Rousseff, mas o escopo da etapa Catilinárias da Lava Jato atinge diversas alas do PMDB –contrárias e favoráveis ao impeachment da presidente. Os efeitos para a governabilidade do que sobrou da gestão da petista se insinuam graves.

          • 10h11 Conselho de Ética – Acompanhe ao vivo (clique aqui) a sessão do Conselho de Ética da Câmara dos Deputados, que tenta pela oitava vezdecidir se dá ou não continuidade ao processo de cassação do mandato do presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ).
          • 09h57 As buscas e apreensões da Polícia Federal na nova fase da Lava Jato teve aval do ministro do STF (Supremo Tribunal Federal), Teori Zavascki, o que dá segurança para a polícia realizar as investigações e diminui as críticas dos partidos oposicionistas. Não há, ao menos por ora, prisões na etapa atual da operação, chamada Catilinárias, que faz alusão à tentativa de golpe em Roma.
          • 09h52 Conselho de Ética – Com a mudança do relator do processo de cassação de seu mandato no Conselho de Ética, o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), defendeu que seja feito um novo pedido de vista ao novo parecer que será apresentado na sessão desta terça.
          • 09h47 Conselho de Ética – O novo relator Marcos Rogério (PDT-GO) vai apresentar nesta terça (15) parecer sobre o processo de Eduardo Cunha (PMDB-RJ) no Conselho de Ética da Câmara. Na abertura da sessão, o presidente do conselho, deputado José Carlos Araújo (PSD-BA), lembrou alembrou a briga entre parlamentares na semana passada. Ele diz que espera que as cenas da última reunião fossem apagadas da memória.
          • 09h39 Com Eduardo Cunha, ministros e parlamentares na mira, a operação da PF atingiu em cheio o PMDB. Embora não seja alvo direto de um mandado de busca, o presidente do Senado também é objeto desta operação. Um dos inquéritos investigados nesta fase é o dele.
          • 09h23 A residência de Eduardo Cunha (PMDB) amanheceu cercada por diversas viaturas policiais. Ele mora na Península dos Ministros, onde fica a residência oficial da presidência da Câmara. O presidente da Câmara é acusado de ser beneficiado de desvios da Petrobras. Segundo dois delatores, ele teria recebido US$ 5 milhões em propina de contratos de navios-sondas e também de um negócio fechado pela Petrobras na África que teriam abastecido contas no exterior mantidas pelo peemedebista e familiares na Suíça.
          • 09h01 As buscas acontecem na casa do presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, dos ministros Celso Pansera (Ciência e Tecnologia) e Henrique Eduardo Alves (Turismo), todos do PMDB. Entre os parlamentares estão o deputado Aníbal Gomes (PMDB-CE), apontado como interlocutor do presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), nos desvios da Petrobras, do senador e ex-ministro Edison Lobão (PMDB-MA), que é investigado no STF (Supremo Tribunal Federal) pela Lava Jato, e de Sergio Machado, ex-presidente da Transpetro.
          • 09h01 O alvo dessa nova fase da Lava Jato atinge o núcleo político do PMDB, partido do vice-presidente da República, Michel Temer. Ao todo, a Polícia Federal realiza 53 mandados de busca e apreensão em seis Estados: São Paulo (15), Pernambuco (4), Pará (6), Rio Grande do Norte (1), Ceará (2) e Alagoas (2) e no Distrito Federal (9).
          • 08h48 

            Bom dia! Acompanhe a cobertura completa da operação da Polícia Federal que realiza buscas e apreensão em sete Estados na nova fase da Lava Jato.

          • (Informação da FOlhaPress e Folha)

Compartilhe:

Comentários

* O Pensa Brasil não se responsabiliza pelo conteúdo dos comentários e se reserva o direito de eliminar, sem aviso prévio ao usuário, aqueles em desacordo com as normas do site ou com as leis brasileiras.

Mais Lidas

101