30/09/2016

09:48

Por: Alberto Silva

VACINA DA DENGUE – Pediatras poderão indicar o imunizante como forma de prevenir a doença em crianças e adolescentes

Após a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorizar, em julho, a comercialização do produto fabricado pela empresa francesa Sanofi Pasteur, apenas o Estado do Paraná demonstrou interesse em distribuí-la na rede pública.

A Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) incluiu nesta semana a vacina da dengue em seu calendário de vacinação da criança e do adolescente. De acordo com a presidente da SBP, Dra. Luciana Rodrigues Silva, “a decisão dialoga com a preocupação da entidade de oferecer à sociedade orientações adequadas sobre as melhores formas de prevenir doenças nas crianças e adolescentes brasileiros”.

De forma prática, isso significa que os pediatras poderão indicar a vacina como forma de prevenir a dengue, porém ela ainda não está entre os imunizantes da Campanha de Multivacinação Nacional. Após a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorizar, em julho, a comercialização do produto fabricado pela empresa francesa Sanofi Pasteur, apenas o Estado do Paraná demonstrou interesse em distribuí-la na rede pública. Já São Paulo anunciou que vai aguardar a vacina que está sendo produzida pelo Instituto Butantã.

O Comitê Técnico Executivo da Câmara de Regulação do Mercado de Medicamentos estipulou que o valor cobrado pela vacina para as clínicas varie entre R$ 132,76 e R$ 138,53. Já o consumidor final encontrou o imunizante por até R$ 915 uma semana depois do anúncio da comercialização.

Saúde pública
Presidente do Departamento Científico de Imunizações da SBP, Dr. Renato Kfouri afirmou que a doença transmitida pelo mosquito Aedes aegypti é, hoje, um enorme problema de saúde pública, sendo necessária a vacinação de crianças e adolescentes. Entretanto, efetiva prevenção à dengue no Brasil careceria de ações governamentais voltadas para o saneamento, à adequada coleta de lixo e um processo de urbanização sustentável, segundo a Dra. Luciana.

A vacina é recomendada para pessoas entre nove e 45 anos e deve ser aplicada em três doses, sendo necessários seis meses de intervalo entre cada uma. A promessa é de pouco mais de 60% de proteção contra os quatro tipos de vírus da dengue, mas estudos indicam 93% contra os casos graves da doença e redução de 80% em relação à internação. O imunizante não é recomendado para gestantes, lactantes ou pessoas com deficiência imunológica.

Prevenção
Dr. Kfouri lembra, entretanto, que a vacina da dengue não é a única forma de prevenção. O combate aos criadouros do mosquitos deve continuar, já que o Aedes aegypti se prolifera em água parada, que se acumula em objetos como pneus, pratos de vasos de plantas, caixas de água mal vedadas e sacos de lixo não bem fechados.

(Via Agencia)

Compartilhe:

Comentários

* O Pensa Brasil não se responsabiliza pelo conteúdo dos comentários e se reserva o direito de eliminar, sem aviso prévio ao usuário, aqueles em desacordo com as normas do site ou com as leis brasileiras.

Mais Lidas

    Sorry. No data so far.

58

Clique aqui