20/03/2015

16:50

Por: Alberto Silva

Suzane Richthofen perde herança, Bruno perde paternidade e “GUGU” sai na defesa deles

O apresentador Gugu Liberato entra na defesa de Susana Richthofen e do Goleiro Bruno, trazendo o caso para seu programa como "Inédito e Exclusivo" apoiando os assassinos.
Suzane Richthofen perde herança, Bruno perde paternidade e "GUGU" sai na defesa deles

O apresentador Gugu Liberato entra na defesa de Susana Richthofen e do Goleiro Bruno, trazendo o caso para seu programa como “Inédito e Exclusivo” apoiando os assassinos.
Justiça de SP exclui Suzane von Richthofen da herança dos pais

Em entrevistas anteriores, Suzane havia apontado os irmãos Cravinhos como idealizadores da morte dos seus pais, embora o Ministério Público sempre tenha defendido que ela era a mentora do crime

O juiz considerou a sentença final, que excluiu Suzane da partilha dos bens por considerá-la “indigna”. Ela foi condenada a 39 anos de prisão pelo assassinato dos pais em 2002. A herança é calculada em mais de R$ 3 milhões.

Procurada pela reportagem, a advogada de Andreas não quis se manifestar.

Em entrevista recente ao apresentador Gugu, da Record, Suzane afirmou que o crime foi planejado por meses e que arquitetou o assassinato dos pais junto com o ex-namorado Daniel Cravinhos e o irmão dele, Christian.

Suzane afirmou ainda terem sido ela e Daniel os principais mentores dos assassinatos.

Em entrevistas anteriores, Suzane havia apontado os irmãos Cravinhos como idealizadores da morte dos seus pais, embora o Ministério Público sempre tenha defendido que ela era a mentora do crime.

Suzane admitiu ainda que tenta esquecer o crime e voltar ao passado pois se diz arrependida. “Isso é uma coisa que não tem como esquecer. Faz parte da minha vida, da minha história. Eu me arrependo. Queria pular os 14 anos, não ter conhecido ele [Daniel], não ter namorado. Como eu queria”.

A presidiária disse ainda que não vê o irmão Andreas desde 2006, quando aconteceu o julgamento. Segundo ela, ele chegou a visitá-la quando estava presa na capital, mas que o irmão não apareceu mais. “Eu sei que meu irmão sofreu muito, mas como ele passou estes anos, eu não sei. Se eu sofri aqui dentro [no presídio de Tremembé, onde está há sete anos], imagino ele lá fora. Quando ele diz o sobrenome, qualquer um reconhece, e ele terá que carregar isto pra sempre”.

De acordo com ela, Andreas não queria se afastar da irmã após a confissão do crime: “Na época, ele me disse: ‘Su, eu perdi meu pai, minha mãe. Eu não quero perder minha irmã. Eu te perdoo e vou ficar com você'”, disse ela ao apresentador. Ela acredita que um dos motivos do afastamento pode ter sido a herança, da qual abriu mão em 2014.

Na entrevista, ela afirmou não ter consciência do valor do dinheiro do qual abriu mão: “Este dinheiro nunca foi meu. Era dos meus pais e hoje pertence ao meu irmão”, disse.

Por alegar falta de segurança, Suzane pediu à Justiça para revogar o benefício para cumprir a pena no regime semiaberto, que também foi concedido para os irmãos Cravinhos.

Segundo a Secretaria de Estado da Administração Penitenciária, Suzane não quer ir agora para o semiaberto pois teria que ser transferida da penitenciária 1 de Tremembé, onde está.

Na decisão, a juíza diz que a ida ao semiaberto é um benefício, e não pode ser imposta.

 

CASO BRUNO

 

Defesa entra com ação para negar paternidade do goleiro Bruno

Advogados do goleiro esperam mostrar que Bruninho não é filho dele, desqualificando a motivação para a suposta participação dele no assassinato de Eliza

A defesa do goleiro Bruno, acusado de mandar matar Eliza Samudio em 2010, entrou com ação negatória de paternidade na Justiça de Mato Grosso do Sul nesta quarta-feira (18). A informação foi divulgada na noite desta quinta-feira (19), no Programa do Gugu, da Record. Dessa forma, a defesa espera mostrar que Bruninho, fruto do relacionamento do jogador com a modelo, não é filho dele, o que desqualificaria uma das principais teses envolvendo a motivação do suposto crime.

No mesmo programa, a mãe de Eliza foi entrevistada e se mostrou a favor do teste de DNA de seu neto desde que o goleiro informasse onde estão os restos mortais de Eliza. Quem solicitou a Gugu que o exame fosse feito foi a mulher do goleiro, Ingrid Calheiros, que diz acreditar que o marido não seja o pai biológico da criança.

Agora a Justiça vai decidir se há necessidade para fazer o teste. Na primeira parte da entrevista feita com Bruno, na quarta-feira, ele havia dito que quer recuperar a guarda de Bruninho. “Eu vou brigar por ele, pela guarda dele, eu vou trazê-lo para o meu lado”.

Bruno Fernandes de Souza foi condenado em 2013 a 22 anos e três meses de prisão – 17 anos e seis meses em regime fechado – por homicídio triplamente qualificado, cárcere privado, sequestro de Eliza e do filho e ocultação de cadáver.

E O GUGU??

Para ganhar ibope em seu programa, faz matérias “exclusivas” na defesa dos bandidos.

BRASIL !!!

Compartilhe:

Comentários

* O Pensa Brasil não se responsabiliza pelo conteúdo dos comentários e se reserva o direito de eliminar, sem aviso prévio ao usuário, aqueles em desacordo com as normas do site ou com as leis brasileiras.

Mais Lidas

104

Clique aqui