25/03/2015

21:40

Por: Alberto Silva

Presidente do PT-SP pede afastamento de executivos do metrô/SP

Em nota, o presidente do PT-SP, Emídio de Souza, pediu o afastamento dos executivos Paulo Celso Mano Moreira da Silva e Ademir Venâncio de Araújo, ambos envolvidos no escândalo do cartel dos trens em São Paulo; Mano foi também citado no chamado "Swissleaks", como titular de uma conta no HSBC; "O Diretório Estadual do PT-SP entende que a gravidade dos fatos divulgados pelo Consórcio Internacional de Jornalismo Investigativo (ICIJ), que através de documentos aponta a existência das contas secretas na Suíça, exige apuração profunda sobre o caso", diz a nota

Em nota, o presidente do PT-SP, Emídio de Souza, pediu o afastamento dos executivos Paulo Celso Mano Moreira da Silva e Ademir Venâncio de Araújo, do Metrô/SP.

Ambos estão envolvidos no escândalo do cartel dos trens em São Paulo e Mano foi também citado no chamado “Swissleaks”, como titular de uma conta no HSBC.

“O Diretório Estadual do PT-SP entende que a gravidade dos fatos divulgados pelo Consórcio Internacional de Jornalismo Investigativo (ICIJ), que através de documentos aponta a existência das contas secretas na Suíça, exige apuração profunda sobre o caso”, diz a nota.

Leia a íntegra abaixo:

PT-SP solicita ao Ministério Público do Estado afastamento e investigação de ex-diretores do Metrô de SP envolvidos no caso Alstom e HSBC

O Diretório Estadual do PT-SP apresentou nesta quarta-feira (25) uma solicitação ao Ministério Público do Estado de São Paulo para que submeta ao juízo competente pedido de afastamento do engenheiro Paulo Celso Mano Moreira da Silva, atual funcionário do Metrô de SP, além de rigorosa investigação sobre os fatos divulgados na imprensa de envolvimento do ex-diretor e também engenheiro Ademir Venâncio de Araújo, que trabalhou no Metrô de 1989 a 1999, e de Paulo Celso Mano, no caso das contas secretas abertas no banco HSBC da Suíça.

De acordo com documentos apurados, Ademir Venâncio e Paulo Celso abriram contas no HSBC da Suíça justamente no período sobre o qual há suspeita de que o Metrô de SP teria realizado irregularidades em dois aditivos firmados em julho de 1989 com a empresa francesa Alstom. Este caso está sendo avaliado pela Promotoria de Justiça do Patrimônio Público e Social da Capital, que ajuizou ação civil pública de responsabilidade por ato de improbidade administrativa contra quatro ex-diretores do Metrô – entre eles Ademir Venâncio e Paulo Celso -, quatro diretores da Alstom e contra a empresa Alstom Brasil Ltda.  De acordo com a ação, os dois aditivos firmados ilegalmente causaram prejuízos aos cofres públicos de R$ 4 milhões.

O Diretório Estadual do PT-SP entende que a gravidade dos fatos divulgados pelo Consórcio Internacional de Jornalismo Investigativo (ICIJ), que através de documentos aponta a existência das contas secretas na Suíça, exige apuração profunda sobre o caso, de modo que o afastamento preventivo de Paulo Celso Mano – ex-diretor e atual assistente técnico do Metrô – de suas funções, salvaguarda o interesse público de qualquer influência direta nas investigações.

Emidio de Souza

Presidente do Diretório Estadual PT-SP

Fonte Br247

Compartilhe:

Comentários

* O Pensa Brasil não se responsabiliza pelo conteúdo dos comentários e se reserva o direito de eliminar, sem aviso prévio ao usuário, aqueles em desacordo com as normas do site ou com as leis brasileiras.

Mais Lidas

100

Clique aqui