10/05/2016

16:24

Por: Alberto Silva

MST E CUT PARANDO BRASIL – trânsito parado em SP e em outros nove Estados

Aproximadamente 150 membros do MST, segundo a Polícia Rodoviária Federal, interditaram o trânsito da BR-135 em Buenópolis (a 280 km de Belo Horizonte).

Manifestantes contrários ao impeachment da presidente Dilma Rousseff realizam uma série de protestos em vias de São Paulo e em ao menos outros nove Estados e no Distrito Federal na manhã desta terça-feira (10).
Os protestos foram convocados pela Frente Brasil Popular, que congrega movimentos sociais como a CUT (Central Única de Trabalhadores), o MST (Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra) e a CMP (Central de Movimentos Populares).
De acordo com a CUT, o ato é em defesa da democracia e contra o impeachment da presidente Dilma Rousseff, que a entidade chama de “golpe”.
Na marginal Tietê, um grupo de cerca de 150 pessoas fechou a pista expressa da avenida, no sentido Castello Branco, entre as pontes Aricanduva e Tatuapé. As faixas agora já foram liberadas.
A avenida 23 de Maio, principal ligação entre as zonas norte e sul da capital, foi totalmente bloqueada nos dois sentidos na altura da rua Asdrúbal do Nascimento, próximo da praça da Bandeira. Manifestantes atearam fogo em pneus no local para interromper o tráfego. No momento, a via já foi totalmente liberada.
Um outro protesto bloqueou totalmente a rodovia Helio Smidt, no sentido aeroporto de Guarulhos, na altura do km 2, logo após a passagem sobre a rodovia Presidente Dutra. Segundo a CET, a interdição na via terminou por volta das 7h30.
Por volta das 7h40, uma manifestação chegou à rua Evandro Carlos de Andrade, entre a marginal Pinheiros e a avenida Chucri Zaidan. A via foi liberada por volta das 8h30.
Em Pirituba, a avenida Raimundo Pereira de Magalhães na altura da avenida Miguel de Castro, também teve uma faixa bloqueada no sentido centro. A manifestação caminha agora pela avenida Ermano Marchetti, onde três faixas no sentido Barra Funda estão interditadas, na altura da rua Ricardo Cavatton.
TRÂNSITO
Às 8h, a CET (Companhia de Engenharia de Tráfego) registrou 116 km de congestionamento na cidade, o que representa 13,3% dos 835 km de vias monitoradas, acima do índice máximo para o horário que é de 11%.
A pior região era a zona sul da cidade com 48 km de morosidade. As piores vias eram a marginal Pinheiros, sentido Interlagos, com 5,5 km de lentidão, a marginal Tietê, sentido Castello Branco, com 4,9 km, e a avenida dos Bandeirantes, sentido marginal, com 4,2 km de lentidão.
PELO BRASIL
Aproximadamente 150 membros do MST, segundo a Polícia Rodoviária Federal, interditaram o trânsito da BR-135 em Buenópolis (a 280 km de Belo Horizonte). Os manifestantes queimaram pneus e levantaram cartazes contra o impeachment da presidente Dilma Rousseff.
O protesto começou às 7h. Às 10h30, o trecho da rodovia continua fechado.
Em Betim, na Grande BH, membros do Sindipetro-MG (Sindicato dos Petroleiros) também protestaram em frente à refinaria Gabriel Passos, mas deixaram o local às 10h. Segundo a Polícia Militar, eram aproximadamente 60 pessoas.
Em João Pessoa, na Paraíba, cerca de 150 pessoas bloquearam a garagem da empresa de ônibus Transnacional, na BR-230.
Manifestações também aconteceram no centro de Vitória (ES), em frente ao Palácio Anchieta, e no km 7,9 da BR-262, em Viana. Na BR-262, cerca de 30 manifestantes interditaram parcialmente a rodovia, desde as 4h30.
No Rio de Janeiro, a rodovia Rio-Santos foi bloqueada nos dois sentidos, na altura da cidade de Itaguaí.
No Rio Grande do Sul, houve bloqueio na BR-290, em Eldorado do Sul, na BR-116, em Sapucaia do Sul, e na BR-386, em Nova Santa Rita. Em Caxias, a BR-116 também enfrentou bloqueios, assim como a RS040, em Viamão.
Em Salvador, houve bloqueios também na estrada do Derba e na avenida Suburbana. Ônibus também bloquearam a via na rotatória do bairro de Periperi e na altura do bairro de Itacaranha.
Também na capital baiana, estudantes da UFBA (Universidade Federal da Bahia) queimaram pneus bloqueando a entrada da avenida Adhemar de Barros, em Ondina, acesso ao principal campus da universidade. O fogo foi apagado e a situação já foi normalizada.
No interior, foram fechadas rodovias em Candeias, Feira de Santana e houve protestos em Itabuna.
De acordo com a CUT (Central Única de Trabalhadores), o ato na capital baiana é em defesa da democracia e contra o impeachment da presidente Dilma Rousseff, que a entidade chama de “golpe”.
No Distrito Federal, as BR-020 e BR-070 também foram bloqueadas.
Em Fortaleza (CE), vias também foram bloqueadas por causa das manifestações.
No Pará, manifestantes travam duas rodovias. Cerca de 300 pessoas bloqueiam a BR-010, na altura do quilômetro 259, no município de Aurora do Pará, desde as 8h30. Outras 100 pessoas bloqueiam a BR-316, próximo a Castanhal.
Em Curitiba (PR), logo no início da manhã, balões vermelhos, em formato de coração, foram espalhados no calçadão da rua 15 de Novembro, no trecho conhecido como “Boca Maldita”.
Os balões traziam mensagens #ficaquerida e “Este não será o país do ódio!”. Houve também uma passeata em apoio à presidente Dilma Rousseff. No interior do Paraná, também houve manifestações de grupos sociais em estradas e pedágios.

A avenida 23 de Maio, principal ligação entre as zonas norte e sul da capital, foi totalmente bloqueada nos dois sentidos na altura da rua Asdrúbal do Nascimento, próximo da praça da Bandeira. Manifestantes atearam fogo em pneus no local para interromper o tráfego. No momento, a via já foi totalmente liberada. Um outro protesto bloqueou totalmente a rodovia Helio Smidt, no sentido aeroporto de Guarulhos, na altura do km 2, logo após a passagem sobre a rodovia Presidente Dutra. Segundo a CET, a interdição na via terminou por volta das 7h30.

Compartilhe:

Comentários

* O Pensa Brasil não se responsabiliza pelo conteúdo dos comentários e se reserva o direito de eliminar, sem aviso prévio ao usuário, aqueles em desacordo com as normas do site ou com as leis brasileiras.

Mais Lidas

106