09/03/2017

18:50

Por: Alberto Silva

Lula em coma, respira por aparelhos e sua morte será decretadas nos próximos dias

A presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministra Cármen Lúcia, negou um pedido de habeas corpus preventivo feito em nome do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Enfim LULA chegou ao seu cume, ato final de vida respirando por aparelhos em estado de coma, mas o que isso significa, claro que não tem nada a ver com a vida física de Luiz Inácio, estamos aqui falando de LULA, sua vida politica, aquele politico do PT, metalúrgico que segundo o TSE  é o chefe Mor de toda quadrilha que assolou a corrupção em nosso país. A derrota de hoje do STJ em que o ministro Felix Fisher negou um habeas corpus impetrado pela defesa do ex-presidente, demonstra que Lula respira por aparelhos. Lula em coma, respira por aparelhos e sua morte será decretadas nos próximos dias

O desligamento destes aparelhos deve acontecer na semana que vem, mais precisamente na segunda-feira, quando as revelações de Emilio #Odebrecht vierem a público. A cova deverá ser cavada pelo plenário do STJ, quando este negar o último recurso.
Quando tudo isso estiver pronto, caberá ao juiz Sérgio Moro joga-lo no buraco, ou seja, na prisão, para que enfim, pague pelos seus pecados.

A presidente do Supremo #Tribunal Federal (STF), ministra Cármen Lúcia, negou um pedido de habeas corpus preventivo feito em nome do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. O autor do pedido se chama Ademaro Moreira, morador de São Carlos. O objetivo dele era evitar “a futura decretação de prisão preventiva” de Lula pelo juiz Sérgio Moro, responsável pela operação Lava-Jato, por entender ser uma ilegalidade. Segundo o cadastro nacional da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Ademaro é um estagiário no ramo do Direito. Ele não integra a defesa de Lula.

Quando tudo isso estiver pronto, caberá ao juiz Sérgio Moro joga-lo no buraco, ou seja, na prisão, para que enfim, pague pelos seus pecados.

Cármen Lúcia destacou que não cabe ao STF julgar habeas corpus contra decisões de juízes federais. Assim, ela negou o pedido sem sequer analisar os argumentos do autor. A ministra disse ainda que a petição de Ademaro é “confusa” e determinou a remessa do pedido para o #Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), com sede em Porto Alegre e abrangência sobre os estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná. É ao TRF-4 que são encaminhados os primeiros recursos contra as decisões de Moro.

Compartilhe:

Comentários

* O Pensa Brasil não se responsabiliza pelo conteúdo dos comentários e se reserva o direito de eliminar, sem aviso prévio ao usuário, aqueles em desacordo com as normas do site ou com as leis brasileiras.

Mais Lidas

95