30/06/2016

21:28

Por: Alberto Silva

Justiça bloqueia R$ 19,5 milhões de contas do WhatsApp, entenda…

Um casal boliviano, que teria enviado duas toneladas da droga para o Brasil, foi preso em meio às investigações. Segundo a PF, o transporte do entorpecente era frealizado em caminhões e carretas com fundos falsos, que também levaval cargas lícitas para confundir a fiscalização. A polícia afirma que os motoristas que faziam as viagens sabiam do esquema.

A Justiça Federal de Londrina, no Paraná, ordenou bloqueio de R$ 19,5 milhões das contas do aplicativo de mensagens WhatsApp. A empresa descumpriu um pedido de liberação de mensagens de trocadas por traficantes investigados pelo Polícia Federal na Operação Quijarro, que mira o tráfico de drogas internacional.

De acordo com informações do G1, o valor se refere a multas acumuladas em cinco meses. A cada notificação, quinzenal, o valor da multa triplicava. Neste mês, o valor ultrapassou do R$ 19 milhões e a Justiça decidiu pelo bloqueio de contas na última sexta-feira (24). A suspensão não afeta o serviço prestado pelo aplicativo.

“Hoje em dia, os criminosos só conversam por mensagens eletrônicas. O pedido, que é o mesmo da interceptação telefônica, é garantido pela Legislação Brasileira. A recusa da empresa em cumprir a ordem judicial atrapalhou tudo. Sem acesso as mensagens do aplicativo, não conseguimos descobrir o núcleo comprador da droga na Espanha e no Brasil, e também não conseguimos apreender mais cargas e revelar outros membros da organização”, disse o delegado responsável pelo caso, Elvis Secco. Ele afirma que a empresa dificulta o trabalho da polícia ao recusar o repasse de informações.

"Hoje em dia, os criminosos só conversam por mensagens eletrônicas. O pedido, que é o mesmo da interceptação telefônica, é garantido pela Legislação Brasileira. A recusa da empresa em cumprir a ordem judicial atrapalhou tudo. Sem acesso as mensagens do aplicativo, não conseguimos descobrir o núcleo comprador da droga na Espanha e no Brasil, e também não conseguimos apreender mais cargas e revelar outros membros da organização", disse o delegado responsável pelo caso,

Investigação

A Operação Quijarro foi deflagrada em janeiro do ano passado e identificou grupos que transportavam cocaína para Brasil, Bolívia, Colômbia e Espanha. Um casal boliviano, que teria enviado duas toneladas da droga para o Brasil, foi preso em meio às investigações. Segundo a PF, o transporte do entorpecente era frealizado em caminhões e carretas com fundos falsos, que também levaval cargas lícitas para confundir a fiscalização. A polícia afirma que os motoristas que faziam as viagens sabiam do esquema.

(Via Agencia)

Compartilhe:

Comentários

* O Pensa Brasil não se responsabiliza pelo conteúdo dos comentários e se reserva o direito de eliminar, sem aviso prévio ao usuário, aqueles em desacordo com as normas do site ou com as leis brasileiras.

Mais Lidas

100