18/08/2015

12:24

Por: Alberto Silva

Invadiram o Gabinete do Ministro da Justiça? Mais uma verdade do PT? entenda …

A Polícia Federal investiga uma possível invasão ao gabinete do ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, que teria ocorrido em 26 de julho, um domingo, quando a sala principal do Palácio da Justiça costuma ficar vazia.

O Ministério da Justiça enviou um documento na segunda-feira (27) ao diretor-geral da Polícia Federal, Leandro Daiello, para comunicar a suposta “violação de espaços restritos do prédio” –o gabinete ministerial

No documento enviado à PF, a pasta solicita a apuração dos fatos e a adoção de medidas cabíveis.

Na manhã daquela segunda, ao chegarem para trabalhar, servidores do ministério notaram que uma das portas do gabinete de Cardozo estava aberta. Perceberam ainda que o computador que fica sobre a mesa do ministro estava ligado.

A máquina da sala do chefe de gabinete de Cardozo, Márcio Lopes de Freitas Filho, também estava ligada.

O ministro ainda não havia chegado ao Palácio da Justiça e, ao ser informado do cenário, ordenou que a Polícia Federal fosse comunicada imediatamente.

Segundo a Folha apurou, servidores do ministério e integrantes da Polícia Federal acreditam que pode ter havido o comprometimento de dados do computador do gabinete do ministro.

Procurados para comentar, Cardozo e a PF disseram que não vão se pronunciar a respeito do caso.

SEGURANÇA

Cardozo conta com um forte aparato de proteção em Brasília e em seus deslocamentos. São dezenas de homens treinados pela Polícia Federal que trabalham para garantir sua integridade.

O ministro, que está há quatro anos e meio à frente da pasta, tem sob seu guarda-chuva, além da PF, outros órgãos de segurança, como a Secretaria Nacional de Segurança Pública e a Polícia Rodoviária Federal.

Atualmente, a PF é a responsável, junto com o Ministério Público Federal, pela Operação Lava Jato, que investiga o esquema de corrupção na Petrobras.

Petistas acusam Cardozo de não controlar a PF e já pediram a troca do ministro diante do avanço das investigações sobre os expoentes do PT. Ele, por sua vez, manifestou a amigos o desejo de deixar o governo, mas acertou com a presidente Dilma Rousseff sua permanência pelo menos até o fim do ano.

No mês passado, Cardozo foi convocado a depor na CPI da Petrobras por parlamentares que queriam ouvir dele explicações sobre o grampo encontrado na cela do doleiro Alberto Youssef na carceragem da PF em Curitiba.

Dois policiais federais ouvidos pela CPI afirmaram que o grampo foi instalado sem autorização judicial na cela do doleiro, um dos principais agentes do esquema de desvio de dinheiro da estatal.

Cardozo sempre refutou qualquer interferência na Polícia Federal e diz que o órgão age com independência.

Compartilhe:

Comentários

* O Pensa Brasil não se responsabiliza pelo conteúdo dos comentários e se reserva o direito de eliminar, sem aviso prévio ao usuário, aqueles em desacordo com as normas do site ou com as leis brasileiras.

Mais Lidas

    Sorry. No data so far.

57

Clique aqui