29/07/2015

10:06

Por: Alberto Silva

“Hoje o pior negócio seria investir no Brasil” Alertam especialistas

A agência de classificação de risco Standard & Poor's revisou para "negativa" a perspectiva de crédito soberano do Brasil nesta terça-feira, ante "estável", mantendo a classificação em moeda estrangeira em "BBB-".
A revisão, segundo nota explicando a decisão, reflete probabilidade maior que uma em três de que a correção de política em curso enfrentará mais deslizes "dada a dinâmica política fluida e que o retorno a uma trajetória de crescimento mais firme demorará mais do que o esperado".
A S&P também manteve o rating do Brasil em moeda local em "BBB+".

A agência citou que a série de investigações de corrupção entre certas empresas e políticos pesa cada vez mais sobre os cenários econômico e fiscal brasileiros.

Mencionou ainda que o país enfrenta circunstâncias políticas e econômicas desafiadoras “apesar do que consideramos ser uma correção de política significativa durante o segundo mandato da presidente Dilma Rousseff“.

“Apesar das mudanças generalizadas de política em andamento, que continuamos a acreditar que tem o apoio da presidente, os riscos de execução aumentaram. Na nossa visão, esses riscos derivam tanto do front econômico quanto político”, afirmou a S&P em nota.

Dólar dispara

O dólar ampliou a alta a 2 por cento e chegou a bater 3,43 reais na máxima do dia após a agência de classificação de risco Standard & Poor’s piorar a perspectiva do Brasil para “negativa”.

Às 13h34, o dólar avançava 1,80 por cento, a 3,4250 reais na venda. Na máxima da sessão, a moeda norte-americana atingiu 3,4353 reais, com alta de 2 por cento. Nas últimas quatro sessões, o dólar acumulou valorização de 6 por cento.

Compartilhe:

Comentários

* O Pensa Brasil não se responsabiliza pelo conteúdo dos comentários e se reserva o direito de eliminar, sem aviso prévio ao usuário, aqueles em desacordo com as normas do site ou com as leis brasileiras.

Mais Lidas

    Sorry. No data so far.

57

Clique aqui