26/02/2017

19:52

Por: Alberto Silva

Goleiro Bruno sai da cadeia e tira onda “e eu preso o corpo ia reaparecer? ” falou sorrindo

liza Silva Samudio (Foz do Iguaçu, 22 de fevereiro de 1985 — Vespasiano, mas a data da morte está em processo de investigação, o mais provável é 10 de julho de 2010).

Mais do que uma confissão que deveria levar o ex-goleiro Bruno direto para cadeia. Que pena ainda no Brasil não existir prisão perpétua, caso Jair Bolsonaro for eleito casos assim não teria um final feliz, um cidadão que foi condenado pela morte de uma modelo deixa a cadeia e sai sorrindo tirando onda com a população. De acordo com site respeitado O Antagonista, em sua primeira entrevista após deixar a prisão, o goleiro Bruno revelou como o rigor das penas não intimida quem está disposto a cometer um crime Goleiro Bruno sai da cadeia e tira onda “e eu preso o corpo ia reaparecer? ” falou sorrindo :

“Independente (sic) do tempo que eu fiquei também, eu queria deixar bem claro: se eu ficasse lá, tivesse prisão perpétua, por exemplo, no Brasil… não ia trazer a vítima [Eliza Samudio] de volta”, afirmou à TV Globo.
O assassino agora goza e vive a vida em liberdade enquanto a vítima, Eliza, não teve a mesma sorte.

É este mesmo Estado que soltou Bruno, que reclama e pune quando alguém faz justiça com as próprias mãos.

O caso Eliza Samudio refere-se aos acontecimentos que envolveram o desaparecimento e morte da modelo e atriz Eliza Silva Samudio. Durante as investigações, uma das testemunhas relatou aos investigadores do caso que a moça teria sido morta por estrangulamento. Em seguida, o cadáver teria sido esquartejado e enterrado sob uma camada de concreto. O caso obteve repercussão nacional e internacional.

O caso Eliza Samudio refere-se aos acontecimentos que envolveram o desaparecimento e morte da modelo e atriz Eliza Silva Samudio. Durante as investigações, uma das testemunhas relatou aos investigadores do caso que a moça teria sido morta por estrangulamento. Em seguida, o cadáver teria sido esquartejado e enterrado sob uma camada de concreto. O caso obteve repercussão nacional e internacional.

O julgamento estava marcado para acontecer em 19 de novembro de 2012 às 9h, no Tribunal do Júri de Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, porém, foi desmembrado e adiado para 4 de março de 2013.

Eliza Silva Samudio (Foz do Iguaçu, 22 de fevereiro de 1985 — Vespasiano, mas a data da morte está em processo de investigação, o mais provável é 10 de julho de 2010).

Filha do arquiteto Luiz Carlos Samudio e da agricultora Sônia Fátima Silva Moura. Seus pais viveram juntos em Foz do Iguaçu por um ano. Frequentemente agredida pelo marido, Sônia Fátima, por questões financeiras, acabou deixando Eliza Samudio e não pôde ficar com a filha de apenas seis meses. A partir daí ela a via às vezes. Passado o tempo, Sônia foi viver no Mato Grosso do Sul, onde se casou novamente há dezesseis anos e teve um filho. Com seu marido explora uma pequena propriedade agrícola de produção de pimenta. Ao completar dez anos, Eliza foi morar com a mãe, em Campo Grande, onde permaneceu por um ano, voltando então para a casa do pai. Quando Eliza desapareceu, Sônia não via sua filha há seis anos e se comunicava com ela apenas por telefone.

Desde os 13 anos Eliza sonhava sair da cidade natal para tornar-se modelo no eixo Rio-São Paulo, o que fez aos dezoito anos, mudando-se para a capital paulista[8]. O advogado Jader Marques confirmou em entrevista que Eliza fez pequenas participações em filmes pornográficos, entre 2005 e 2009, além de participar de películas para a produtora erótica Brasileirinhas com o nome artístico de Fernanda Farias.

Segundo testemunhas, Eliza e Bruno se conheciam desde 2008. Bruno, entretanto, afirma que conheceu Eliza em maio de 2009, num churrasco no Rio de Janeiro. Em agosto, Eliza anuncia publicamente estar grávida, atribuindo a paternidade ao atleta. O bebê nasceu em 10 de fevereiro de 2010 na Cidade de São Paulo, quando Eliza estava morando na casa de uma amiga desde a descoberta da gravidez. Ela comunicou a Bruno o nascimento do neném, mas Bruno recusou-se a reconhecer a paternidade.Eliza ingressou, então, com uma ação de reconhecimento de paternidade, depois de chegar a morar com o filho na capital fluminense, em hotéis pagos por Bruno. Em 4 de junho deste ano, ela aceita um convite para ir até Esmeraldas, Minas Gerais, atendendo ao atleta, que surpreendera os advogados da ação, uma vez que parecia disposto a negociar um acordo. A modelo desaparece durante essa visita a Minas Gerais.

Compartilhe:

Comentários

* O Pensa Brasil não se responsabiliza pelo conteúdo dos comentários e se reserva o direito de eliminar, sem aviso prévio ao usuário, aqueles em desacordo com as normas do site ou com as leis brasileiras.

Mais Lidas

91

Clique aqui