14/08/2015

22:18

Por: Alberto Silva

Em Juazeiro Dilma diz que crise do Brasil é passageira, que vamos voltar a crescer.

A presidente Dilma Rousseff participou nesta sexta-feira (14) de mais uma cerimônia de entrega do programa Minha Casa Minha Vida. Em Juazeiro, na Bahia, ela entregou 1.480 unidades habitacionais.

No discurso, Dilma fez apenas uma breve referência à crise pela qual passa o governo, classificando-a como passageira.

“Estamos numa travessia e nós vamos fazer dar certo. Podem ter certeza: o país vai voltar a crescer e vamos reduzir a inflação”, afirmou durante o evento no qual se deixou fotografar usando um chapéu de vaqueiro.

A petista afirmou que o pedido do prefeito da cidade, Isaac Carvalho, de interligar o rio Tocantins ao rio São Francisco com o objetivo de amenizar a seca no Nordeste não era “trivial” e exigiria “bilhões e bilhões” para ser realizado. Ela afirmou que a região passa por uma das piores secas dos últimos anos e lembrou a construção de um milhão de cisternas durante as gestões petistas.

Ao prefeito de Juazeiro Dilma pediu que plantasse árvores e construísse creches para as crianças no conjunto residencial inaugurado.

Dilma segue para Salvador, para “pregar para convertidos” na segunda edição do programa Dialoga Brasil, lançado há duas semanas em Brasília.

Em meio a uma grave crise política e econômica e às vésperas de protestos que vão pedir o impeachment da presidente nas principais capitais do país, Dilma vai discursar para uma plateia de 300 líderes de entidades civis organizadas alinhadas ao PT.

Num evento que servirá para discutir políticas culturais, estão confirmadas as presenças de líderes de centrais sindicais como a CUT (Central única dos Trabalhadores) e entidades como o MST (Movimentos dos Trabalhadores Rurais Sem Terra).

Devem completar a plateia entidades dos movimentos negro e de mulheres, além de membros de conselhos governamentais voltados para discussão de políticas para cultura e da juventude.

A ideia, segundo aliados, é reforçar o apoio da base social do PT à presidente para enfrentar a agenda do impeachment.

Os convidados do Dialoga Brasil foram selecionados pela Presidência, com o apoio da Secretaria de Relações Institucionais do governo Rui Costa (PT).

“É uma turma com quem dialogamos e que conquistou espaços importantes no nosso governo. Mas são organismos da sociedade, não são ligados ao partido”, afirma o secretário de Relações Institucionais da Bahia, Josias Gomes.

Segundo ele, a presença da presidente em Salvador “é fundamental para mostrar que o governo que ela lidera tem muito a falar e fazer pela sociedade”.

SEM OBRAS

Antes do evento do Dialoga Brasil, a presidente terá uma reunião fechada com empresários na capital baiana.

A agenda presidencial, contudo, frustrou a equipe do governador Rui Costa (PT) que esperava que a presidente assinasse ordem de serviço para construção de um VLT no subúrbio da capital baiana.

O prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), que em maio articulou o apoio de deputados de seu partido à aprovação do ajuste fiscal, também esperava que a visita da presidente selasse a liberação de recursos para iniciar um sistema de corredores de ônibus.

Compartilhe:

Comentários

* O Pensa Brasil não se responsabiliza pelo conteúdo dos comentários e se reserva o direito de eliminar, sem aviso prévio ao usuário, aqueles em desacordo com as normas do site ou com as leis brasileiras.

Mais Lidas

110

Clique aqui