19/04/2016

21:53

Por: Alberto Silva

Dilma Rousseff participou do bárbaro assassinato do Soldado do Exército Mário Kozel Filho

O veículo justifica a urgência citando a “atualidade do interesse público”, já que a candidata pode se tornar a próxima presidente.

VOCÊ SABIA DISSO ?? O PROCESSO da TERRORISTA DILMA  está trancando em um COFRE no SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL.  O STF não deixa ninguém ler: confissão que há algo a esconder.

PENA QUE O STF ESTÁ NAS MÃOS DO PT – LÁ ESTÁ A FICHA DE DILMA…..

Estava no Fusca, no outro carro, ao lado do Quartel?  – Ficou no Esconderijo da VAR-Palmares?

NENHUM CANAL DE TELEVISÃO JAMAIS ENTREVISTOU EM SANTA BÁRBARA DO OESTE-SP a Terezinha Kozel mãe do Mário;…Porque? Está velhinha e vai morrer sem ser entrevistada.

SE  ficou no esconderijo esperando o pessoal da VAR PAlmares praticar a matança de soldados, quando viu essa foto não se arrependeu e não arrepende? até hoje? Ou quando os colegas voltaram pro esconderijo dizendo que arrembentaram o menino?

NENHUM CANAL DE TELEVISÃO JAMAIS ENTREVISTOU EM SANTA BÁRBARA DO OESTE-SP a Terezinha Kozel mãe do Mário;…Porque? Está velhinha e vai morrer sem ser entrevistada.

Jornal recorre ao STF para ver processo de Dilma

O jornal Folha de S. Paulo entrou, nessa sexta-feira (22/10), com uma Ação Cautelar no Supremo Tribunal Federal para tentar acessar o processo que levou a candidata do PT à Presidência Dilma Rousseff à prisão em 1970, durante a ditadura militar (1964-85). Por 40 anos, o processo de Dilma foi público. As informações são do jornal.
Desde o início do ano, o jornal tenta ter acesso aos autos referentes à participação de Dilma em organizações da esquerda armada na época da ditadura. Porém, os arquivos foram trancados em um cofre, em abril, por decisão do presidente do Superior Tribunal Militar, ministro Carlos Alberto Soares. Ele alega querer evitar uso político do material.

O jornal entrou com Mandado de Segurança no próprio STM para ter acesso ao processo. O julgamento foi suspenso duas vezes, um por pedido de vista e o outro por questão processual. Segundo Taís Gasparian, advogada do jornal, ao adiar a decisão, o STM “viola o direito da requerente de obter a necessária e urgente decisão que lhe permita ter acesso aos autos da ação penal”.

Na ação no STF, a Folha de S. Paulo diz que Soares é uma “autoridade administrativa” e não pode, “arbitrariamente, decidir o que é levado ao conhecimento público e o que não é”. O jornal diz ainda que há uma negativa de “prestação jurisdicional” pelo tribunal.

O veículo justifica a urgência citando a “atualidade do interesse público”, já que a candidata pode se tornar a próxima presidente. Por isso, solicita acesso antes da eleição, para os leitores conhecerem o passado de Dilma.soldado

FONTE: homemculto.com

Compartilhe:

Comentários

* O Pensa Brasil não se responsabiliza pelo conteúdo dos comentários e se reserva o direito de eliminar, sem aviso prévio ao usuário, aqueles em desacordo com as normas do site ou com as leis brasileiras.

Mais Lidas

96