03/04/2015

18:56

Por: Alberto Silva

Desastre no Ibope obriga Globo a relançar Babilônia “A partir de segunda a novela é outra”

A Globo lançou neste final de semana uma operação de salvamento de Babilônia. Rejeitada por parte do público e boicotada por evangélicos, a nova novela das nove derrubou a audiência do horário nobre da emissora em 19% e, se não reagir, poderá entrar para a história como o mais baixo ibope das 21h. Desde ontem, para recuperar o público que migrou para SBT e Record, a Globo exibe chamadas introduzindo didaticamente as tramas da novela, em uma ação chamada de “relançamento”. Mudou também a abertura e a apresentação da logomarca.

Nas novas chamadas, que serão intensificadas nesta semana, a mocinha Regina (Camila Pitanga) está sendo apresentada para que quem nunca viu um capítulo de Babilônia entenda o que se passa caso sintonize a novela nesta segunda. “Rio de Janeiro, morro da Babilônia. Aqui vive Regina, uma mulher que se esforça para cuidar da família e tem muito orgulho de seu trabalho. Depois de uma decepção amorosa, ela nunca mais se envolveu com ninguém. Mas Vinicius [Thiago Fragoso] está conseguindo aos poucos mudar essa história”, diz a chamada.

Os intervalos também estão sendo bombardeados por chamadas apresentando tramas paralelas, como a do “político picareta” Aderbal (Marcos Palmeira) e do romance entre Rafael (Chay Suede) e Laís (Luisa Arraes), um Romeu e Julieta contemporâneo. O esforço envolve também o jornalismo. Neste domingo, Camila Pitanga aparecerá no Fantástico apresetando o morro da Babilônia.

Na nova apresentação da logomarca de Babilônia, o nome da novela aparece sobre um inspirador nascer do sol estilizado. Antes, vinha sobre uma parede de concreto. Desde ontem, a abertura está diferente. Ficou mais clara, com nova animação em computação gráfica.

As mudanças são a primeira reação da Globo à baixa audiência de Babilônia. Por enquanto, nada vai mudar na trama, que tem grande frente de capítulos escritos. Mudanças só ocorrerão após uma reavaliação do departamento de teledramaturgia e de pesquisas com grupos de telespectadores.

Compartilhe:

Comentários

* O Pensa Brasil não se responsabiliza pelo conteúdo dos comentários e se reserva o direito de eliminar, sem aviso prévio ao usuário, aqueles em desacordo com as normas do site ou com as leis brasileiras.

Mais Lidas

    Sorry. No data so far.

50

Clique aqui