"> ?> Coreia do Norte desafia EUA e lança 4 mísseis, contra-ataque pode gerar uma guerra, leia aqui... - Pensa Brasil - Em busca da notícia

06/03/2017

09:20

Por: Alberto Silva

Coreia do Norte desafia EUA e lança 4 mísseis, contra-ataque pode gerar uma guerra, leia aqui…

O lançamento aconteceu às 7h06 de segunda-feira (no horário norte-coreano, 19h36 de domingo em Brasília) de Dongchang-ri, na costa noroeste do país, em
direção ao Mar do Leste, e um dos projéteis voou pelo menos 1.000 quilômetros antes de cair no oceano.

Fontes internacionais informaram que o poderio de fogo ICBM (intercontinental ballistic missile) é desconhecido, porém ele pode ser capaz de devastar parte dos EUA.
Coreia do Norte desafia EUA e lança 4 mísseis, contra-ataque pode gerar uma guerra, leia aqui…
O ICBM possui um alcance extremamente elevado e pode percorrer mais de 5 500 km carregando armas nucleares.
Coréia do Sul e EUA já estão em estado de alerta e organizam exercícios militares conjuntos para o início de um provável conflito.
Kim Jong-un lançou o míssil de uma base de longo alcance situada em Tongchang-ri, próximo da fronteira chinesa.
Em fevereiro, o ditador norte-coreano já tinha lançado um míssil de curto alcance nuclear como uma espécie de provocação ao presidente Donald Trump.

A Coreia do Norte lançou quatro mísseis balísticos em direção ao Mar do Japão, segundo informaram os governo do Japão e da Coreia do Sul.

O lançamento aconteceu às 7h06 de segunda-feira (no horário norte-coreano, 19h36 de domingo em Brasília) de Dongchang-ri, na costa noroeste do país, em
direção ao Mar do Leste, e um dos projéteis voou pelo menos 1.000 quilômetros antes de cair no oceano.

Representantes do exército sul-coreano não descartam que este projétil possa ser um míssil balístico intercontinental (ICBM) – o regime norte-coreano usou no passado a base de Dongchang-ri para lançá-los – ou um modelo de categoria média (IRBM), como o que Pyongyang lançou no último dia 12 de fevereiro.

“Estamos realizando uma análise precisa com toda a informação disponível para determinar o tipo de projétil e seu alcance”, explica o texto de uma nota do Estado-Maior Conjunto (JCS) da Coreia do Sul.

Representantes do exército sul-coreano não descartam que este projétil possa ser um míssil balístico intercontinental (ICBM) – o regime norte-coreano usou no passado a base de Dongchang-ri para lançá-los –

ou um modelo de categoria média (IRBM), como o que Pyongyang lançou no último dia 12 de fevereiro.

O Comitê de Segurança Nacional da Coreia do Sul, liderado pelo presidente interino Hwang Kyo-ahn, iniciou uma reunião pouco após saber do lançamento, segundo um porta-voz do escritório presidencial. Por sua parte, o ministro porta-voz do governo do Japão, Yoshihide Suga, declarou em entrevista coletiva em Tóquio que três dos quatro projéteis caíram na Zona Econômica Especial (EEZ) de seu país, espaço que se estende cerca de 370 quilômetros a partir da costa japonesa.

As autoridades japonesas e sul-coreanas acreditam que o lançamento responde às manobras conjuntas anuais que Coreia do Sul e Estados Unidos realizam em território sul-coreano desde a semana passada. A Coreia do Norte condena regularmente estes exercícios militares, cuja escala este ano é a maior até o momento, por considerá-los um ensaio para invadir seu território.

VIA EFE

Compartilhe:

Comentários

* O Pensa Brasil não se responsabiliza pelo conteúdo dos comentários e se reserva o direito de eliminar, sem aviso prévio ao usuário, aqueles em desacordo com as normas do site ou com as leis brasileiras.

Mais Lidas

103