09/03/2017

09:55

Por: Alberto Silva

CHOCANTE: Meninas abusadas sexualmente em orfanato fazem protesto e acabam mortas!

Ontem, quarta-feira (8), no Dia Internacional da Mulher, durante um protesto na Guatemala um incêndio deixou 22 mortos e 38 feridos.

A Guatemala hoje está em luto. Em um orfanato no país, meninas viviam fazendo denúncias contra abusos sexuais que sofriam. Entretanto, a “situação” nunca foi resolvida ou investigada á fundo. Assim, ontem, quarta-feira (8), no Dia Internacional da Mulher, as mesmas resolveram fazer um protesto contra a situação. O que elas não sabiam é que isso acabaria em tragédia.  Pelo menos 22 meninas morreram e 38 outras encontram-se hospitalizadas.

Segundo o site ‘Expresso’ de Portugal, as jovens tentaram protestar contra os abusos sexuais e físicos, que sofrem, segundo fontes familiares. O provedor dos Direitos Humanos, Abde Paredes, explicou aos jornalistas que, segundo as primeiras investigações, o fogo foi posto pelas próprias meninas e terá começado num colchão. Segundo o porta-voz dos bombeiros locais, Mario Cruz, pelo menos 19 pessoas foram encontradas mortas no local do incêndio, que continuar a ser combatido.  O departamento nacional da polícia referiu que um total de 38 pessoas ficaram feridas, 14 das quais em estado grave devido a queimaduras. Uma centena de pessoas concentrou-se no local para pedir às autoridades as identidades dos mortos e feridos, não tendo recebido, até ao momento, qualquer informação. As meninas feridas e mortas terão alegadamente escolhido o Dia Internacional da Mulher para protestar contra os abusos sexuais e físicos que sofrem no orfanato. Com os olhos em lágrimas e cabeças cabisbaixas, pais, mães e irmãos de alguns dos internos exigem saber a verdade. O pai de Pablo, um menino de 14 anos, contou que o filho está no centro, mas desconhecia o seu estado. O homem salientou, contudo, não ter dúvidas que o filho é vítima de abusos. “É assim que tratam as pessoas. É uma porcaria. Tem feridas quando o venho ver e se lhe pergunto quem lhas fez fica zangado”, disse o homem, que prefere não se identificar. Um grupo de mulheres comentou os testemunhos de crianças que alegam serem “espancadas e violadas”. “Não são criminosos, nem animais. São crianças, são pessoas, são adolescentes”, gritou uma delas. O orfanato tem estado envolto em polémica desde 2016. Pelo menos 47 jovens fugiram, o que levou a Secretaria da Presidência, responsável pela custódia das crianças a destituir o diretor.

As autoridades investigam desde então os factos e uma juíza decretou o encerramento do centro, motivo que levou dois juízes do Supremo Tribunal da Justiça a deslocar-se ao local para verificar a situação.

As meninas feridas e mortas terão alegadamente escolhido o Dia Internacional da Mulher para protestar contra os abusos sexuais e físicos que sofrem no orfanato".

Ainda ontem, várias entidades das Nações Unidas pediram hoje à Guatemala para dar uma resposta imediata sobre à tragédia.

 

 

[Via Agência e Notícias.]

Compartilhe:

Comentários

* O Pensa Brasil não se responsabiliza pelo conteúdo dos comentários e se reserva o direito de eliminar, sem aviso prévio ao usuário, aqueles em desacordo com as normas do site ou com as leis brasileiras.

Mais Lidas

96