04/04/2016

18:32

Por: Alberto Silva

Cadê a moral? 57% dos deputados que julgam o impeachment são investigados por corrupção

De acordo com a ONG Transparência Brasil os números são alarmantes. “Cinco membros da comissão são acusados de lavagem de dinheiro, outros seis de conspiração e 19 são investigados por irregularidades nas contas; 33 são acusados ou de corrupção ou de improbidade administrativa; ao todo, 37 membros foram acusados, alguns deles de crimes múltiplos", afirma a organização em nota.

Não justifica e nem tira o mérito de exterminar o PT do mapa, mas, tem nome de parlamentar que está até na Interpol. (SE GRITAR PEGA LADRÃO). É isso mesmo. 37 dos 65 deputados federais da comissão que vai julgar o impeachment da presidente Dilma Rousseff não poderiam estar lá. Porque todos eles estão sendo investigados em processos de corrupção. Inclusive são acusados de participar de mais escândalos que a própria presidente.

De acordo com a ONG Transparência Brasil os números são alarmantes. “Cinco membros da comissão são acusados de lavagem de dinheiro, outros seis de conspiração e 19 são investigados por irregularidades nas contas; 33 são acusados ou de corrupção ou de improbidade administrativa; ao todo, 37 membros foram acusados, alguns deles de crimes múltiplos”, afirma a organização em nota.

O destaque fica por conta do deputado federal Paulo Maluf (PP-SP) que deve votar contra o impeachment da presidente e tem seu nome procurado pela Interpol. O principal órgão policial internacional do mundo inteiro. Se o ex-prefeito de São Paulo sair do país ele vai parar direto em uma cadeia. Só aqui que ele não pode ser preso. Vai entender.

E o que parecia ser ruim, é pior. De acordo com a ONG dos 513 deputados federais brasileiros, pelo menos 303 respondem a processos de corrupção. No Senado são 49 dos 81 parlamentares. Mais da metade do Congresso Nacional é formado por bandido.

A lista da Odebrecht com 200 nomes é fichinha perto do enorme escândalo de corrupção que é o próprio Congresso Nacional. O jornal americano Los Angeles Times fez uma grande reportagem sobre o assunto e tiraram conclusões pouco percebidas no meio político-jurídico brasileiro. “Dilma Rousseff, por sua vez, nunca foi investigada oficialmente ou acusada de corrupção, apesar de ela ter uma impopularidade gigantesca atualmente e ser considerada culpada pela recessão profunda em que o país se encontra. Michel Temer é suspeito, em investigações da Lava Jato, de estar envolvido em um esquema de compra ilegal de etanol. Aécio Neves é investigado pela Lava-Jato e suspeito de ter contas secretas no paraíso fiscal de Liechtenstein”, confirma o impresso.

Com um julgamento realizado por centenas de ladrões, o Brasil deve sair de uma crise para entrar em outra. Deixar de ser governado pelo mal lavado, para dar o poder ao sujo de fato.

PENSA BRASIL

Compartilhe:

Comentários

* O Pensa Brasil não se responsabiliza pelo conteúdo dos comentários e se reserva o direito de eliminar, sem aviso prévio ao usuário, aqueles em desacordo com as normas do site ou com as leis brasileiras.

Mais Lidas

92