18/08/2015

19:24

Por: Alberto Silva

Brasil no fundo do Poço, economia cai no mês de julho e é a pior em 5 anos

Pelo quarto mês seguido a arrecadação da Receita Federal voltou a cair, refletindo a crise em que se encontra a economia brasileira. As receitas com o pagamento de impostos e contribuições federais somaram 104,86 bilhões de reais, o que representou uma queda real (com correção pela inflação) de 3,13% na comparação com igual mês de 2014. Em relação a junho, houve um aumento de 7,34% na arrecadação, segundo dados divulgados nesta terça-feira, pela Receita Federal. O desempenho da arrecadação no mês passado é o mais baixo para julho desde 2010.

Nos primeiros sete meses da nova equipe econômica de Dilma Rousseff, a arrecadação federal somou 712,07 bilhões de reais, um recuo de 2,91% na comparação com o mesmo período de 2014. O valor também é o menor para o período em cinco anos.

As incertezas na economia levaram as empresas a adotar um movimento defensivo, deixando de pagar impostos, como o Imposto de Renda da Pessoa Jurídica (IRPJ) e da Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL). Nos primeiros sete meses de 2015, a arrecadação da Receita com IRPJ e CSLL apresentou queda real de 9,51%. O total arrecadado no período foi de 119,74 bilhões de reais. Em julho, a queda de arrecadação do IRPJ e CSLL somou 2,37 bilhões de reais, o correspondente a 11,69%.

Já arrecadação do PIS e da Cofins, tributos que funcionam como um termômetro da atividade econômica, atingiu 4,91 bilhões de reais no mês passado, o equivalente a um aumento de 3,15%.

Desonerações – Nos primeiros sete meses do ano, o governo abriu mão de arrecadar 62,63 bilhões de reais por causa das desonerações tributárias, um aumento de 11,76% em relação ao mesmo período de 2014. Em julho, as desonerações concedidas pelo governo totalizaram 7,74 bilhões de reais, valor que equivale a uma renúncia fiscal 3,34% inferior à registrada em igual mês de 2014, que chegou a 8,01 bilhões de reais.

A desoneração de folha de pagamento custou 1,86 bilhão de reais em julho e 13,062 bilhões de reais nos sete primeiros meses do ano. O ministro da Fazenda, Joaquim Levy, tenta aprovar projeto de lei que aumenta a carga tributária das empresas desoneradas pela folha de pagamentos.

Reforço – A Receita contou com um reforço adicional e uma arrecadação extra de 2,33 bilhões de reais em julho. Sem essas receitas extraordinárias, o resultado da arrecadação seria ainda pior. Entre janeiro e julho deste ano, as receitas extraordinárias somam 10 bilhões de reais.

(Com Estadão Conteúdo)

Compartilhe:

Comentários

* O Pensa Brasil não se responsabiliza pelo conteúdo dos comentários e se reserva o direito de eliminar, sem aviso prévio ao usuário, aqueles em desacordo com as normas do site ou com as leis brasileiras.

Mais Lidas

    Sorry. No data so far.

57

Clique aqui