11/01/2017

08:59

Por: Paes

ABSURDO – Vídeos de Trump com prostitutas VAZAM NA WEB, veja…

Donald Trump tem vídeos comprometedores mantendo relações com prostitutas.

O Presidente Eleito nos EUA, Donal Trump está em uma situação comprometedora. O atual presidente dos EUA acabou nas mãos dos espiões russos. Eles gravaram Donald Trump com várias prostitutas ao mesmo tempo, mantendo uma relação com todas elas.

Isso faz com que Trump fique em estado de alerta, porque se ele der um passo errado, ele acabará nas mãos erradas.

Confira a notícia do site Veja:

Um dos motivos para os chefes de inteligência dos EUA tomarem a inédita decisão de incluir a sinopse foi deixar o presidente eleito ciente de que essas informações que o envolvem estão circulando entre agências de inteligência, membros de alto escalão do Congresso e outros funcionários do governo em Washington, disseram as fontes à CNN. A reportagem é assinada por um grupo de jornalistas que inclui Carl Bernstein, um dos que denunciaram o escândalo Watergate.

Chefes das agências de inteligência dos EUA informaram na semana passada ao presidente eleito Donald Trump que espiões russos acreditam ter dados pessoais e financeiros comprometedores contra ele. O alerta foi repassado também ao presidente Barack Obama, segundo a rede CNN. A veracidade das alegações não foi comprovada.

Pelo Twitter, Trump disse que as notícias são falsas e “uma caça às bruxas total”. Os dados foram apresentadas em uma sinopse de duas páginas anexada ao relatório sobre a interferência russa na eleição de 2016. Os chefes de inteligência decidiram incluir a sinopse para demonstrar que a Rússia compilou informações potencialmente prejudiciais aos dois partidos, mas só divulgou informações contra Hillary Clinton e os democratas.

Os dados se originam, em parte, de memorandos compilados por um ex-agente da inteligência britânica cujo trabalho é considerado confiável pelos americanos. O FBI investiga a credibilidade e a precisão das alegações, que têm como principal base informações de fontes russas que não deram mais detalhes dos memorandos sobre Trump.

Os memorandos descrevem vídeos de prostitutas mantendo relações com Trump em uma visita que ele fez à Rússia em 2013. Os vídeos foram supostamente gravados com o objetivo de chantagear Trump no futuro. Os documentos também sugerem que funcionários russos propuseram lucrativos acordos, essencialmente oferecendo subornos para obter influência sobre Trump.

As duas páginas também incluem indícios de que houve uma contínua troca de informações durante a campanha entre subordinados de Trump e intermediários do governo russo para discutir questões de interesse mútuo, incluindo a espionagem do Comitê Nacional Democrata.

Os relatórios secretos foram apresentados na semana passada por quatro chefes da inteligência americana — James Clapper, diretor de Inteligência Nacional, James Comey, diretor do FBI, John Brennan, diretor da CIA, e Mike Rogers, diretor da NSA. O conteúdo foi repassada à CNN por funcionários com acesso ao relatório.

Um dos motivos para os chefes de inteligência dos EUA tomarem a inédita decisão de incluir a sinopse foi deixar o presidente eleito ciente de que essas informações que o envolvem estão circulando entre agências de inteligência, membros de alto escalão do Congresso e outros funcionários do governo em Washington, disseram as fontes à CNN. A reportagem é assinada por um grupo de jornalistas que inclui Carl Bernstein, um dos que denunciaram o escândalo Watergate.

A sinopse não é parte oficial do relatório da inteligência sobre a acusação de que a Rússia hackeou informações de Hillary e dos democratas, mas funcionários dizem que ela aumenta a evidência de que Moscou buscou prejudicar a candidatura da ex-secretária de Estado e ajudar Trump.

A sinopse não dá detalhes sobre os métodos usados pelo ex-agente britânico para obter as informações. Segundo a CNN, a equipe de transição de Trump não quis comentar a informação, assim como o FBI e a Agência de Inteligência Nacional.

O site Observador.pt também comentou sobre o acontecido:

A Rússia alega ter “informações pessoais e financeiras comprometedoras” sobre o presidente eleito dos Estados Unidos, Donald Trump, que já foi informado pelo FBI da existência destes documentos, avançou a CNN na madrugada desta quarta-feira. A reação não se fez esperar, no Twitter, como já tem sido hábito. “É uma caça às bruxas”, escreveu o presidente que vai tomar posse a 20 de janeiro. Barack Obama, que fez o seu último discurso enquanto presidente do país esta terça-feira à noite, também já estará a par.

As informações russas foram sintetizadas num documento de duas páginas, revelado a Trump por James Clapper, diretor das Informações Nacionais, James Comey, diretor do FBI, John Brennan, diretor da CIA e Mike Rogers, diretor da Segurança Nacional norte-americana. De acordo com a CNN, que diz ter por base “múltiplos” membros das autoridades norte-americanas, as informações constavam de um anexo ao relatório sobre a alegada interferência russa nas eleições presidenciais.

O FBI está a investigar a veracidade das informações russas, mas assim que o assunto foi tornado público, Donald Trump queixou-se de estar a ser alvo de “notícias falsas”. No mesmo relatório, há informação que demonstra que a Rússia compilou informação sobre os candidatos dos dois partidos, Hillary Clinton e Donald Trump, mas que apenas revelaram o material que prejudicava a candidata democrata.

O The New York Times acrescentou que verificou uma série de detalhes que estavam incluídos nos documentos, mas que não conseguiu comprová-los. Entre esses detalhes encontram-se vídeos de teor sexual, que envolvem Donald Trump e prostitutas russas, numa visita a Moscovo em 2013. A ideia, conta o The New York Times, seria que a Rússia pudesse chantagear Trump, mais tarde, com a publicação destes vídeos.

O BuzzFedd publicou, entretanto, o alegado relatório que foi entregue aos líderes governamentais dos EUA, onde se pode ler que, numa visita a Moscovo, Donald Trump reservou a suite presidencial do Ritz Carlton Hotel, onde sabia que Barack Obama tinha estado com a mulher, Michelle, e contratou várias prostitutas a quem pediu para urinarem na cama onde o presidente norte-americano tinha dormido.

(Via Agência de Notícias e Veja)

Compartilhe:

Comentários

* O Pensa Brasil não se responsabiliza pelo conteúdo dos comentários e se reserva o direito de eliminar, sem aviso prévio ao usuário, aqueles em desacordo com as normas do site ou com as leis brasileiras.

Mais Lidas

101