13/08/2015

11:56

Por: Alberto Silva

A amizade entre Silvio e Macedo, uma mentira que a TV tenta vender “Ele é um péssimo diretor de programação” diz macedo

A visita de Silvio Santos ao Bispo Edir Macedo no Templo de Salomão exibida pelo “Domingo Espetacular” no dia 02 de agosto deu o que falar. Muitos acreditam que a conversa entre os dois foi muito além de um papo espontâneo e casual. Coincidentemente chegam informações de que Record, SBT e Rede TV! estariam se unindo para cobrarem pela transmissão de seus canais na TV a cabo. Com uma forte divulgação a Record vendeu o encontro dos grandes empresários da comunicação como um encontro de amigos. Verdade ou exagero da emissora do Bispo?

Podemos afirmar que a primeira vez que Edir Macedo teve contato com Silvio Santos foi durante o processo de venda da TV Record no final dos anos 1980. A emissora foi fundada pelo empresário Paulo Machado de Carvalho no ano de 1953, na década de 70, Silvio Santos compraria 50% de suas ações, porém uma forte crise afetou as finanças do canal obrigando os sócios a venderem a emissora o quanto antes. Edir Macedo recebia dados importantes sobre as finanças da Record de Demerval Gonçalves, homem de confiança do Grupo Silvio Santos na época, já acostumado em comprar horários de algumas rádios e emissoras de televisão, logo Macedo foi informado sobre a venda do canal e rapidamente se interessou em compra-lo.

Na biografia “O Bispo – A História Revelada de Edir Macedo”, Edir conta que ludibriou Silvio Santos nas negociações para a compra da Record. Segundo o livro escrito por Douglas Tavolaro, o Bispo da Universal usou o pastor Laprovita Vieira como “laranja” na compra da emissora até no momento de assinar o cheque. Anos depois o Bispo contou em sua autobiografia “Nada a Perder 2”  que essa manobra havia sido arquitetada pelo fato de ter receio da oferta ser superfaturada ou até mesmo negada por causa de intolerância religiosa por parte dos antigos sócios – Silvio Santos e a família Paulo Machado de Carvalho. Macedo afirmou no livro: “Ninguém desconfiou que era eu quem estava por trás de uma compra tão importante”.

Na verdade existem varias versões sobre a venda da Record para a “Igreja Universal do Reino de Deus”, o que se pode afirmar é que foram realizadas várias reuniões para a negociação de venda da emissora. Segundo Macedo, Silvio Santos em um certo momento havia desistido de vender o canal para a “Universal” após algumas parcelas pagas e o procurou, esse teria sido o primeiro contado entre eles, “Não quero o dinheiro de volta. Quero quitar a dívida”, teria respondido o Bispo ao dono do SBT.

Outro encontro emblemático entre Edir e Silvio ocorreu no fim do ano de 1998. O Homem do Baú havia tirado da Record Carlos Massa, o Ratinho, com isso o SBT deveria pagar uma multa no valor de R$ 44 milhões devido à rescisão de contrato do apresentador.  A emissora de Macedo colocou a questão na Justiça e Silvio Santos sabendo da demora judicial resolveu procurar Macedo na sede da Igreja Universal no bairro de Santo Amaro. Sentado na última fileira, Silvio esperou o culto terminar para poder encontrar-se novamente com Edir. Enquanto esperava, Silvio ficou bastante impressionado com a oratória do Bispo. Sobre a multa do Ratinho, Silvio conseguiu reduzir o valor para R$ 14 milhões, solucionando a questão rapidamente.

No ano de 2004, a Rede Record inicia um grande investimento a fim de tomar o segundo lugar de audiência da emissora de Silvio Santos (SBT) e se aproximar cada vez mais da Rede Globo de televisão. A emissora de Edir Macedo realizou contratações de peso como Celso Freitas, Tom Cavalcante e Marcio Garcia, começou a investir em novelas e em jornalismo factual. Graças à baixa qualidade da programação do SBT na época a Record conseguiu ocupar a vice-liderança em São Paulo em pouco tempo causando uma desestabilidade feroz no Complexo Anhanguera.

Silvio Santos começou a realizar uma verdadeira bagunça na programação do SBT, procurando reverter à situação o quanto antes, programas estreavam sem planejamento e eram cancelados sem maiores explicações. O tradicional programa “Hebe”, por exemplo, imortalizado nas noites de segunda-feira no SBT, chegou a ser exibido aos sábados em 2005, o resultado foi desastroso. Edir ironizou em sua biografia “O Bispo – A História Revelada de Edir Macedo”: “Silvio Santos é um extraordinário vendedor, mas um péssimo diretor de programação. Você vê o SBT, aquilo é uma lástima”.

Após conquistar o segundo lugar em audiência na grande São Paulo, a Record iniciou um processo de passar o SBT também no PNT (Painel Nacional de Televisão), onde se mede a audiência de vários estados da federação, com isso a Rede de Edir Macedo começou a investir em novos equipamentos de suas emissoras próprias e a assediar as principais afiliadas de Silvio Santos espalhadas pelo país.  A TVs Atalaia de Sergipe, Pajuçara de Alagoas, A Crítica de Manaus e TVB de Campinas foram algumas que trocaram o SBT pela Record. A emissora da Barra Funda também negociou com a TV Alterosa de Minas Gerais que preferiu permanecer com o SBT. Graças à troca de afiliadas em alguns estados a emissora do “Homem do Baú” acabou ficando sem sinal, dessa maneira a Record conseguiu prejudicar ainda mais a audiência do SBT.

Em 2009, o SBT e Silvio Santos sofrem mais um golpe da emissora de Edir Macedo, a contratação de Augusto Liberato. Após várias tentativas frustradas, a Record conseguiu tirar Gugu do SBT.  Tentado por um contrato milionário, o loiro se dizia infeliz na emissora de Silvio Santos devido à falta de investimento em seu programa e a crise que afligia a audiência da emissora. Com um bom contrato nas mãos, Silvio achou por bem não fazer uma contra proposta pra manter Gugu no casting do canal e surpreendentemente incentivou sua ida para a Record. Na época a contratação de Augusto Liberato foi uma grande vitória para emissora da Barra Funda, pois ele abaixo de Silvio era a grande estrela do SBT. Após da saída de Gugu, Silvio Santos contra atacou e em um curto espaço de tempo fez uma verdadeira limpa na Record contratando os apresentadores Eliana e Roberto Justus, o jornalistas Roberto Cabrini, o aventureiro Richard Rasmussen e o autor de novelas Thiago Santiago.

Parece que atualmente os dois grandes empresários da comunicação resolveram deixar as disputas de lado e focar na camaradagem.  Silvio Santos ficou bastante emocionado com uma reportagem especial exibida no “Domingo Espetacular” no ano de 2011 sobre sua trajetória de sucesso. Em forma de agradecimento o “Homem do Baú” solicitou ao jornalista Roberto Cabrini que produzisse uma edição especial do “Conexão Repórter” sobre a vida de Edir Macedo, Silvio disponibilizou mais de uma hora do seu programa para a exibição da homenagem.

Mais uma vez a Record exagerou em suas reportagens ao enfatizar a amizade inexistente entre Edir Macedo e Silvio Santos. O que existe na verdade é um coleguismo e um respeito entre ambos. No último dia 02 em uma matéria de 35 minutos, o “Domingo Espetacular” exibiu a visita de Silvio Santos ao “Templo de Salomão” sendo recepcionado pelo Bispo Edir Macedo, um encontro após 17 anos. Silvio já havia dito diversas vezes em seu programa a sua admiração pelo Templo e o interesse em visita-lo, chegou até a exibir uma matéria em seu dominical mostrando sua inauguração no ano passado.

A tão comentada entrevista anunciada exaustivamente na programação da Record não passou de um papo informal sobre as impressões do apresentador sobre o local. A enorme popularidade do “Homem do Baú” foi usada para divulgar e promover o ponto turístico religioso de São Paulo. A jornalista Adriana Araújo, que acompanhava e narrava a visita de Silvio ao Templo, insistia em chamar o encontro entre Silvio Santos e Edir Macedo como um encontro de dois amigos. Depois de ler essa coluna você pode pensar: Quem tem um amigo como esse não precisa de inimigo, não é verdade?

Compartilhe:

Comentários

* O Pensa Brasil não se responsabiliza pelo conteúdo dos comentários e se reserva o direito de eliminar, sem aviso prévio ao usuário, aqueles em desacordo com as normas do site ou com as leis brasileiras.

Mais Lidas

55

Clique aqui