22/11/2015

12:37

Por: Alberto Silva

Veja Cinco restaurantes de comida típica para celebrar a Independência do Líbano

Para celebrar a independência do Líbano, conquistada em 22 de novembro de 1943 e comemorada neste domingo (22), o "Guia" preparou uma lista com cinco restaurantes que servem a típica culinária do país.

Alguns deles prepararam um menu especial em comemoração à data, como o Saj, que realiza até o dia 29 deste mês o Festival da Independência do Líbano, com pratos que representam quatro de suas principais cidades: Tiro, Zahlé, Tripoli e Baalbek.

Já o Manish aposta em um menu degustação para duas pessoas, por R$ 160. A entrada é composta por quadra de ases com combinado de pães, charutinho de uva e repolho, e tabule. Já o prato principal terá camarão grelhado, kafta, cordeiro, arroz com lentilha, cuscuz e batata manish. Para a sobremesa, os clientes podem optar por doces árabes, Malabie ou Chocolamour.

Saj
Da chapa saj, trazida do Líbano, saem pães quentinhos, caso do pão-folha, para acompanhar pastas como baba ghanoush e mhammara (feita de pimentão). Não saia sem pedir de sobremesa o Chocolamour -com sorvete, chantilly, calda e farofa doce.

Manish
O restaurante tem decoração mais requintada -a fachada é um charmoso painel de muxarabi (espécie de cobogó). Há opções de inspiração libanesa como o beirute de cafta (com tomate e mozarela) e a esfirra aberta de carne com coalhada. Entre os pratos, destaque para o chich barack (cappelletti de vitela na coalhada com pinoli e hortelã).

Miski
A casa sírio-libanesa foi aberta como rotisseria em 1987 e hoje também atua como restaurante. De quarta e sábado, serve bufê de “melohie”, um cozido de verduras, com acompanhamentos como quibe assado e músculo bovino. Entre as opções à la carte, o “chich barak” (cappelletti) tem molho de coalhada e hortelã.

Arabia
Em um ambiente refinado, com cadeiras de vime e faixas de tecido decorando o teto, o restaurante apresenta cardápio libanês legítimo, com pratos preparados pela chef Leila Kuczynski. Dentre as especialidades, está o fatayer de carne (uma esfirra feita na chapa) com batata ralada e cebola. Servido apenas aos sábados, o cuscuz marroquino chega àMESA com carneiro, linguiça e legumes.

Farabbud
A tradição das famílias Farah e Abbud, ambas de descendência árabe, dão corpo à cozinha do restaurante. Num salão diminuto, comMESAS coladas e um deque na entrada, serve a quadra de ases, uma degustação com especialidades: quibe cru, trigo frique, baba ghanoush, homus e coalhada.

Compartilhe:

Comentários

* O Pensa Brasil não se responsabiliza pelo conteúdo dos comentários e se reserva o direito de eliminar, sem aviso prévio ao usuário, aqueles em desacordo com as normas do site ou com as leis brasileiras.

Mais Lidas

105