30/09/2016

09:39

Último debate entre candidatos de SP tem discussões e trocas de farpas

Os participantes podiam escolher para quem iriam direcionar suas perguntas, desde que cada um respondesse no máximo duas vezes por etapa.

Por: Alberto Silva

O último debate entre os candidatos à Prefeitura de São Paulo aconteceu na noite desta quinta-feira (29) e contou com a presença de João Doria (PSBD), Celso Russomano (PRB), Marta Suplicy (PMDB), Fernando Haddad (PT), Luiza Erundina (PSOL) e Major Olímpio (SD).

O programa, realizado pela TV Globo, foi dividido em quatro blocos, dois com temas livres e dois com assuntos sorteados pelo jornalista Cesar Tralli. Os participantes podiam escolher para quem iriam direcionar suas perguntas, desde que cada um respondesse no máximo duas vezes por etapa.

Troca de farpas e acusações

Durante o debate, em diversas oportunidades, alguns dos candidatos trocaram farpas e acusações. Marta e Haddad entraram em conflito reciprocamente. Após ser questionada pelo atual prefeito sobre o programa da inspeção veicular, a candidata se exaltou: “Muda o disco, Haddad, e não fique falando sobre a inspeção veicular, que ninguém mais liga para isso. Vou fazer tudo o que você não fez.”

Haddad também bateu de frente com Russomano ao questioná-lo sobre a regulamentação dos aplicativos de transporte de passageiros: “Por que você quer desfazer o que está dando certo?”, indagou. O candidato do PRB respondeu que iria corrigir o que o prefeito fez de errado. “É preciso colocar a casa em ordem. A gente precisa dizer quantos veículos estão na rua para evitar essa concorrência predatória. Seu decreto não deu em nada e precisa ser corrigido.”

Quem também fez críticas aos adversários foi Erundina, que se direcionou primeiramente à Marta, falando sobre a MP que prevê a modificação do ensino médio. A senadora respondeu dizendo que a proposta foi debatida entre ministros e especialistas e que terá mais tempo para aprofundar o debate sobre o tema: “(O projeto) diminui o número de cadeiras. Tem um monte de professor e matérias, mas não aprofunda nada. Acredito que os alunos terão aprendizagem melhor”. Erundina discordou da colocação da adversária. “Não sei de que especialistas você está falando. Isso vai empobrecer o ensino. Medida provisória é bastante acelerada, não permite debate e discussão.”

A candidata do PSOL também começou a discutir com Doria na pergunta sobre iluminação pública, após o adversário afirmar que usaria um financiamento privado para realizar melhorias na área. “Incrível a sua preferência por privatização e terceirização. Virou um mantra”, rebateu Erundina. “Respeito sua trajetória, mas sou gestor e atuo nos negócios. Sou diferente de você, minha historia é moderna, atual e transformadora”, devolveu o candidato tucano.

Em outra oportunidade, Erundina se exaltou ao responder à crítica inicial de Doria. “Você disse que sou antiga. Você é tão velho quanto qualquer outro político velho desse país. Um candidato em troca do uso da máquina do Estado. Ser moderno é privatizar?”, questionou. Doria se defendeu: “Não disse que você é antiga, disse que farei diferente. Você gosta de excesso de Estado, eu prefiro o Estado enxuto, atuando em benefício da população”.

Candidatos buscam vaga no segundo turno

Nas considerações finais, candidatos que estão na luta por uma vaga no segundo turno tentaram convencer seus eleitores. Marta aproveitou a última ocasião para agradecer aos telespectadores que consideram suas propostas, além de alfinetar novamente os adversários: “O Doria teve mais tempo para se mostrar, o Haddad é o prefeito que você já conhece: promete e não entrega. E o Russomano tem vários escândalos”.

Em seu tempo, Russomano rebateu Marta: “Ao longo de toda a minha vida sempre dei a cara à tapa para defender pessoas, diferente da Marta que se esconde em comerciais para falar mal de mim. Ela mente descaradamente. Quero fazer essa gestão cuidando de vocês, assim que eu quero governar”. A colocação do candidato

Já Haddad agradeceu e aproveitou para fazer propaganda: “Existem dois projetos na disputa: o privatista que é vender a cidade e um projeto que vê como bem público encurtar distâncias do centro à periferia”. E completou o discurso divulgando seu número.

Doria parabenizou a emissora pelo debate e complementou: “Sou um gestor, administrador e um empresário que vai atuar e resolver os problemas de São Paulo. Sou um gestor e é disso que a cidade precisa. Um olhar de realização para a periferia”. O candidato foi aplaudido pelos presentes na plateia.

(Via Agencia)

 

Compartilhe:

Comentários

* O Pensa Brasil não se responsabiliza pelo conteúdo dos comentários e se reserva o direito de eliminar, sem aviso prévio ao usuário, aqueles em desacordo com as normas do site ou com as leis brasileiras.

Mais Lidas

90