01/05/2016

17:47

Por: Alberto Silva

Ultimo ato de desespero, Dilma discursa para petistas em SP e ameças são reforçadas

Sob ameaças, Dilma discursou a aplaudiu seus "Cumpanheiros" dizer que vão parar o Brasil e para as estradas do país

Neste domingo (1º), no Dia do Trabalho, como é de costume do PT, pagar uma turma com R$ 30,00 + pão com mortadela, Dilma foi tentar discursar em um ato de desespero para as principais centrais sindicais do país, contra e a favor do impeachment da presidente Dilma Rousseff, vão às ruas para medir forças.

Após o discurso de Dilma os sindicalistas ameaçaram dizendo que dia 6 o Brasil vai parar, que eles irão parar as estrada, que não terá golpe.

Sindicatos e trabalhadores contra o impeachment esperam 100 mil pessoas no ato no Vale do Anhangabaú, no centro de São Paulo. O ex-presidente Lula deve falar às 13h, e Dilma, às 14h. Outras lideranças petistas, como o prefeito Fernando Haddad, também foram convidadas.

Sindicatos e trabalhadores contra o impeachment esperam 100 mil pessoas no ato no Vale do Anhangabaú, no centro de São Paulo. O ex-presidente Lula deve falar às 13h, e Dilma, às 14h. Outras lideranças petistas, como o prefeito Fernando Haddad, também foram convidadas.

Dilma pediu aos subordinados, ao longo da semana, um “pacote de bondades”para anunciar no 1º de Maio. Entre elas, a presidente deve divulgar reajustes de cerca de 5% na tabela do Imposto de Renda na Fonte, que não foi corrigida neste ano, e nos benefícios do Bolsa Família.

No ato da Força Sindical, em São Paulo, que reuniu artistas e políticos da oposição, neste domingo (1º), o presidente da entidade e deputado federal pelo Solidariedade, Paulinho da Força, criticou o “pacote de bondades” que Dilma anunciou. Segundo ele, é um ato mais de desespero e vingança do que uma medida para beneficiar a população.

Compartilhe:

Comentários

* O Pensa Brasil não se responsabiliza pelo conteúdo dos comentários e se reserva o direito de eliminar, sem aviso prévio ao usuário, aqueles em desacordo com as normas do site ou com as leis brasileiras.

Mais Lidas

104