30/09/2016

09:11

Por: Alberto Silva

TSE indentificou doações suspeitas a campanhas eleitorais passam de R$ 500 milhões

Cerca de 12,4 mil repasses foram efetuados por pessoas que são sócias em empresas que recebem recursos da administração pública. Esses empresários destinaram R$ 155,4 milhões às campanhas eleitorais.

O Tribunal Superior Eleitoral identificou que, até a última segunda-feira (26), as doações a campanhas eleitorais consideradas suspeitas atingiram R$ 554,4 milhões em todo o País. Esse montante foi repassado aos candidatos em 150.871 operações financeiras. O balanço, divulgado nesta quinta-feira (29), foi feito com base em dados do Tribunal de Contas da União (TCU).

A planilha identifica 13 tipos de doações suspeitas. Foram registrados 23.844 depósitos por pessoas cuja renda é incompatível ao valor depositado, somando R$ 227,4 milhões. Cerca de 12,4 mil repasses foram efetuados por pessoas que são sócias em empresas que recebem recursos da administração pública. Esses empresários destinaram R$ 155,4 milhões às campanhas eleitorais.

Chama ainda mais a atenção as 143 doações feitas pelo CPF de pessoas que já morreram, totalizando R$ 272,6 mil. O TSE identificou ainda 22.367 transferências efetuadas por beneficiários do Bolsa Família, que chegaram a R$ 21,1 milhões  isso equivale a R$ 944,81 em cada operação. Outras 46.694 contribuições foram feitas por doadores desempregados. Juntas, somaram R$ 51,9 milhões.

Outro tipo de situação encontrada pelo TSE e que pode indicar fraude no processo eleitoral é a concentração de doadores em uma mesma empresa, o que pode ter sido feito com o objetivo de mascarar a aplicação de recursos por parte de pessoas jurídicas. Foram 150.671 casos desse tipo, que contabilizaram R$ 64,6 milhões.

Consta ainda da lista de irregularidades a cessão de veículos sem propriedade comprovada. O tribunal localizou 6.120 ocorrências dessa modalidade, que movimentaram R$ 13,1 milhões.

Fornecedores

O balanço do TSE encontrou 370 casos de fornecedores a campanhas que têm número reduzido de funcionários. Outros 350 têm como sócios beneficiários do Bolsa Família, enquanto 5.869 têm relação de parentesco com os candidatos e 427 não têm registro na Junta Comercial ou na Receita Federal. Em todos esses casos, o valor movimentado soma R$ 18,7 milhões. Em 260 registros, a empresa foi constituída em 2015 ou 2016 e tem na sociedade pessoas filiadas a partidos políticos.

Crescimento

O primeiro balanço feito pelo TSE com os dados do TCU, fechado em 5 de setembro, mostrava que as doações suspeitas às campanhas eleitorais somavam R$ 70,9 milhões. Esse número subiu para R$ 275 milhões no dia 12 e para R$ 388 milhões no dia 19. O tribunal ainda não divulgou informações atualizadas sobre o total doado. No último levantamento, o montante já superava R$ 1,5 bilhão.

(Via Agencia)

 

Compartilhe:

Comentários

* O Pensa Brasil não se responsabiliza pelo conteúdo dos comentários e se reserva o direito de eliminar, sem aviso prévio ao usuário, aqueles em desacordo com as normas do site ou com as leis brasileiras.

Mais Lidas

89