24/03/2016

16:03

Por: Alberto Silva

Teori Zavaski pega pesado e manda recado para o juiz federal Sérgio Moro

Teori Zavaski “manda recado” para o juiz Sérgio Moro Ministro do STF, que recebeu título de cidadão ribeirão-pretano disse que a Justiça é para ser exercida com serenidade, racionalidade e sem protagonismos. – (GUTO SILVEIRA 18 MAR 2016 16H56)

Virou um caso nacional, a revolta das pessoas nas ruas e nas redes sociais contra o Juiz do supremo por barrar o trabalho de Sérgio Moro. Caríssimo Teori, se tivesse o senhor, a metade da dignidade e da honra que tem o excelentíssimo senhor Juiz Dr. Sérgio Moro, tenho certeza que teríamos um Brasil muito melhor.
Imagine o senhor, um País que pode contar, com um homem da estatura do Ilmo Dr. Sérgio Moro; agora imagine mais, um País que pode contar com dois homens desse naipe…
Infelizmente pelo seu “balbucio”, vejo que não me enganei, quando fiquei chateado porque fora indicado ao STF, achei mesmo que seu perfil não era, como não o é, adequado.
Aliás, vejo-o na estatura do Paulo Henrique Amorim, que considero um calhorda na profissão de jornalista, imagina então, o apreço que tenho por ti…
Deixo para tua meditação uma frase famosa, que diz:
“If I have seen further it is by standing on the shoulders of Giants.” (Sir Isaac Newton)
O Doutor Sérgio Moro, tenho certeza absoluta, entende a extensão desse axioma… (ely silmar vidal)

Teori Zavaski “manda recado” para o juiz Sérgio Moro
Ministro do STF, que recebeu título de cidadão ribeirão-pretano disse que a Justiça é para ser exercida com serenidade, racionalidade e sem protagonismos. – (GUTO SILVEIRA 18 MAR 2016 16H56)
O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), relator da operação Lava Jato, mandou uma espécie de “recado” ao juiz federal Sérgio Moro, que cuida da investigação da mesma operação e que na quarta-feira divulgou grampos telefônicos do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) com vários interlocutores, entre eles a própria presidente Dilma Rousseff (PT). As afirmações foram feitas em discurso, já que ele não deu entrevista aos jornalistas.
“É preciso que os juízes tenham serenidade. Serenidade significa dizer que ele (o juiz) não será contaminado por paixões de qualquer natureza. Porque a paixão é cega. É claro que a justiça também é cega, mas a cegueira da justiça não é a cegueira das paixões”, disse o ministro em seu discurso. Alguns manifestantes a favor do impeachment e que apoiam o juiz Sérgio Moro não gostaram muito das palavras de Zavaski.
Ele ainda falou sobre a situação do País e da ampliação de conflitos. “Numa hora como estas que estamos vivendo, com dificuldades para o País, quando as paixões se exacerbam, mais do que nunca o Judiciário tem que exercer seu papel com serenidade, racionalidade. Sem protagonismos. Porque é isso que a sociedade espera de um juiz. E só assim que o juiz se legitima. O papel de um juiz é de resolver conflitos. Não é de criar conflitos” disse.
No meio de sua frase, o ministro do STF foi aplaudido pela maioria dos presentes. Ele voltou a apontar que a serenidade é muito importante. “É preciso, sobretudo, que as decisões sejam racionais. Que as decisões sejam justificáveis racionalmente. A decisão que se justifica racionalmente, não precisa de alarde, pode ser anunciada com cordialidade”.
Título
O ministro Teori Zavaski recebeu em Ribeirão Preto o título de cidadão ribeirãopretano, aprovado pela Câmara Municipal a partir de projeto do vereador Cícero Gomes da Silva (PMDB). Ele agradeceu a homenagem e disse que é importante para um membro do Judiciário ser lembrado pelo Legislativo, já que os dois poderes trabalham numa espécie de parceria, já que um produz as leis e o outro as aplica.
“São duas instituições fundamentais, porque o Legislativo estabelece as limitações de liberdade, enquanto o Judiciário é parceiro que dá concretude às determinações do Legislativo, sendo o guardião das leis aprovadas”, comentou.
E emendou que normalmente os cidadãos cumprem as leis e que o Judiciário só intervém quando os modelos de conduta estabelecidos pelo judiciário entram em crise. “Crise do ponto de vista do ordenamento jurídico, porque há crises pessoais, políticas, econômicas, mas cabe a nós, juízes, resolver as crises do ordenamento jurídico”.
Fotos: Newton Barbosa/Câmara Municipal -revide.com.br/noticias/teori-zavaski-manda-recado-para-o-juiz-sergio-moro/

Compartilhe:

Comentários

* O Pensa Brasil não se responsabiliza pelo conteúdo dos comentários e se reserva o direito de eliminar, sem aviso prévio ao usuário, aqueles em desacordo com as normas do site ou com as leis brasileiras.

Mais Lidas

93