29/10/2015

19:40

Por: Alberto Silva

“Só falta a melancia na cabeça” Sibá Machado, o deputado sem voto que adora ser notícia

Nos últimos anos, ora como senador sem voto, ora como líder da bancada de deputados do Partido dos Trabalhadores, o acriano Sibá Machado notabilizou-se pelas patacoadas que nunca teve vergonha de dizer no Congresso Nacional.

Às vezes, as bobagens ditas por Sibá ficam apenas no mundo das chacotas, como o alerta de que a agência americana CIA estava por trás dos protestos contra a presidente Dilma Rousseff. Às vezes, seu descontrole ultrapassa limites, como a convocação de militantes para “ir para o pau” e “botar para correr” o grupo de jovens que acampavam em Brasília pedindo o impeachment. Nos dois casos, Sibá foi criticado, seja pela tolice ou pela imprudência, nos meios de comunicação. Porém, em alguns veículos do seu Estado, Sibá é rotineiramente elogiado pela boa atuação parlamentar. Uma das respostas pode estar nas notas fiscais apresentadas pelo petista para justificar os gastos do seu mandato.

Desde janeiro, Sibá Machado desembolsou 97 092 reais em recursos da Câmara dos Deputados para “divulgação do mandato”. Trata-se de uma rubrica destinada a custear boletins, jornais e outros informes sobre a atuação dos 513 deputados em suas bases eleitorais. No caso de Sibá, alguns recibos deixam clara a finalidade: comprar reportagens, como registrou de próprio punho o dono do blogSentinela da Fronteira na nota fiscal de 2 800 reais abaixo, “referentes a oito matérias em junho”. No mês de junho, uma das principais reportagens do blog trazia um pronunciamento exclusivo do petista, em vídeo, intitulado “Oposição quer entregar riqueza do pré-sal, garante Sibá”. E o blog não é o único. ARádio Ecoacre também “divulgou o mandato” do petista no programa “Jornal Diário de Notícias”, por 1 500 reais, em abril.

Os 97 000 reais desembolsados por Sibá – ou melhor, pelo contribuinte, já que a verba é pública – são mais do que o dobro do que gastaram juntos, com a mesma rubrica, os colegas de bancada do seu estado, os petistas Angelim (18 600 reais) e Leo Rocha (23 000).

O valor destinado aos gastos com o mandato varia de acordo com o Estado do deputado: desde que as passagens aéreas foram incluídas na cota parlamentar, em 2009, quanto mais longe de Brasília, maior o reembolso. No caso Acre, são ressarcidos 44 260 reais mensais, num total de 531 127 reais por ano. Em 2015, Sibá gastou 380 943 reais, incluindo 71 820 reais para alugar carros e 23 800 com o fretamento de jatinhos.

nota

Compartilhe:

Comentários

* O Pensa Brasil não se responsabiliza pelo conteúdo dos comentários e se reserva o direito de eliminar, sem aviso prévio ao usuário, aqueles em desacordo com as normas do site ou com as leis brasileiras.