28/09/2016

09:27

Por: Alberto Silva

Sete motivos para ver como a nova Libertadores será diferente

As mudanças na Copa Libertadores a partir do próximo ano chamaram a atenção nesta terça-feira. A Conmebol anunciou, por exemplo, que o principal torneio de clubes da América do Sul se estenderá de fevereiro a novembro e terá final única.

As novidades influenciarão em pelo menos sete quesitos da competição.

Janela de transferências

Os jogos em semanas consecutivas devem acabar a partir do próximo ano. Com os duelos mais espaçados, eles vão acontecer nas quatro estações.

Os clubes sul-americanos terão que enfrentar a janela de transferências do meio do ano, a melhor da Europa. Se antes a Libertadores acabava em julho ou agosto, exatamente durante o efervescente mercado, agora vai até novembro. Com isso, as equipes terão muitas dificuldades em manter o elenco do início ao fim.

O campeão da Libertadores não terá como reforçar seu time para o Mundial. Afinal, a decisão do torneio vai acontecer em novembro, e a competição intercontinental será no mês seguinte.

Menos jogos no inverno sul-americano

Os jogos em semanas consecutivas devem acabar a partir do próximo ano. Com os duelos mais espaçados, eles vão acontecer nas quatro estações.

O Brasil pode se beneficiar com o aumento para 42 times: uma outra vaga pode ser aberta além das cinco já existentes hoje – quatro via Brasileirão e uma pela Copa do Brasil.

Eliminação, pero no mucho

A Libertadores vai ser o estilo da Uefa Champions League, com times eliminados precocemente antes das oitavas de final ganhando vaga na Copa Sul-Americana, que começa a partir de junho.

Com a Libertadores com nove meses de duração, diminui a chance de um time ter o mesmo técnico até o título. Ao menos no instável futebol brasileiro.

A grande mudança, mesmo, será com a decisão do campeonato. A Libertadores terá jogo único e campo neutro, assim como a Champions. Ainda não se sabe como será escolhida a sede a cada ano, mas a proposta gerou polêmica nas redes sociais, com a maioria criticando tal decisão.

(Via agencia)

Compartilhe:

Comentários

* O Pensa Brasil não se responsabiliza pelo conteúdo dos comentários e se reserva o direito de eliminar, sem aviso prévio ao usuário, aqueles em desacordo com as normas do site ou com as leis brasileiras.

Mais Lidas

90