16/04/2016

23:24

Por: Alberto Silva

Sabendo que vai ser PRESO, LULA pede a MORO e volta para São Paulo, prisão será inevitável

"Se o impeachment de fato for decretado, passar pelo Senado, nós vamos defender eleições gerais porque não reconhecemos no vice-presidente condições morais e jurídicas para vir a presidir o Brasil" afirmou Damous pouco antes da partida de Lula.

LULA já sabe da derrota de Dilma e que será preso por MORO. O ex-presidente Lula acaba de deixar Brasília rumo à São Paulo, após concluir que não há mais nada a ser feito para impedir que prevaleça a aprovação do impeachment neste domingo, 17, na Câmara dos Deputados. Um de seus principais interlocutores do parlamento, o deputado Wadih Damous (PT-RJ), falou sobre a disposição do partido, que muda o foco a partir de agora e parte definitivamente para a oposição ao futuro governo de Michel Temer.

“Se o impeachment de fato for decretado, passar pelo Senado, nós vamos defender eleições gerais porque não reconhecemos no vice-presidente condições morais e jurídicas para vir a presidir o Brasil” afirmou Damous pouco antes da partida de Lula.

A oposição ao governo Dilma desejou boa viagem ao ex-presidente e agradeceu seu emprenho em mentir ao Palácio do Planalto, quando dizia que tinha vários partidos no bolso. A avaliação geral é a de que Lula mais atrapalhou que ajudou sua companheira de partido.

LULA deixou Brasília acompanhado de dois policiais federais e sabe que com a caída de Dilma sua prisão é inevitável

Internamente, o partido já considera o fato de Dilma ter se tornado “carta fora do baralho”, como definiu a própria Dilma em entrevista esta semana. Interlocutores afirmam que a presidente fez a parte dela e sustentou o discurso definido pelo  partido como estratégia de unificar a militância até o último momento.

A estratégia definida previamente pelo partido a partir de agora será a de tentar unificar ainda mais a militância e os movimentos sociais em torno da narrativa do “golpe” e a pressão pela convocação de “eleições gerais”, visando garantir alguma perspectiva para as eleições municipais de outubro.

Lula não confirmou se irá participar do ato contra o impeachment programado para este domingo, 17, no Vale do Anhangabaú. Embora tenha sido encorajado a comparecer ao ato, pessoas próximas do ex-presidente o aconselharam a ficar em casa e evitar maiores desgastes ao associar sua imagem à de Dilma de agora em diante.

(VIA AGÊNCIA DE NOTICIAS)

Compartilhe:

Comentários

* O Pensa Brasil não se responsabiliza pelo conteúdo dos comentários e se reserva o direito de eliminar, sem aviso prévio ao usuário, aqueles em desacordo com as normas do site ou com as leis brasileiras.

Mais Lidas

96