17/08/2016

08:39

Por: Alberto Silva

Renan Calheiros cai direto nas mãos do Juiz Sérgio Moro é destruído ao falar em Projeto retrocesso, veja aqui ..

O juiz da Lava Jato fez um apelo para que os senadores rejeitem ou modifiquem a redação atual que, na sua avaliação, é um retrocesso preocupante e pode ser usado para intimidar autoridades policiais que investigam “poderosos”.

O juiz Sérgio Moro criticou duramente oprojeto do presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), que, destinado a punir “crimes de abusos de autoridades”, tem sido interpretado como uma tentativa de intimidar juízes, promotores e delegados que investigam políticos poderosos.

A crítica de Moro foi feita em palestra na abertura do encontro nacional de procuradores jurídicos da Federação das Apaes, em Brasília. O juiz da Lava Jato fez um apelo para que os senadores rejeitem ou modifiquem a redação atual que, na sua avaliação, é um retrocesso preocupante e pode ser usado para intimidar autoridades policiais que investigam “poderosos”.

Moro fez um alerta para o risco de retrocessos “que muitas vezes estão atrás da porta a nos surpreender”. “Não que abusos de autoridades não devam ser punidos, ninguém é contra isso”, explicou o magistrado. “A proposta inicial talvez fosse positiva, mas a redação atual da lei, na forma que está colocada sugere a possibilidade da sua utilização para intimidação de juízes, procuradores e autoridades policiais, não por praticarem abusos, mas por cumprirem seu dever com independência em processos envolvendo figuras poderosas”, concluiu.

A proposta inicial talvez fosse positiva, mas a redação atual da lei, na forma que está colocada sugere a possibilidade da sua utilização para intimidação de juízes, procuradores e autoridades policiais, não por praticarem abusos, mas por cumprirem seu dever com independência em processos envolvendo figuras poderosas

Compartilhe:

Comentários

* O Pensa Brasil não se responsabiliza pelo conteúdo dos comentários e se reserva o direito de eliminar, sem aviso prévio ao usuário, aqueles em desacordo com as normas do site ou com as leis brasileiras.

Mais Lidas

63