10/11/2015

14:17

Por: Alberto Silva

PM entra em ação para conter as manifestações de caminhoneiros nas estradas

.A Polícia Militar de Caçador precisou intervir e determinar a liberação da pista na Rodovia Engenheiro Lourenço Faoro, na manhã desta terça-feira, 10 de maio, onde acontecia uma manifestação desde a noite anterior. Pessoas alheias ao movimento estariam impedindo motoristas com ameaças e inclusive cobrando pedágio para liberar os caminhões que desejam deixar o local.

e acordo com informações, entre o final da madrugada e início da manhã começaram chegar denúncias e solicitações de motoristas que estavam sendo coagidos a permanecerem no pátio do posto Brasília, próximo a Maxiplast. Um deles, que dirigia um caminhão de combustíveis revelou que estariam ameaçando incendiar seu veículo, caso o mesmo tentasse sair. Outro disse que indivíduos que não compunham o movimento estariam cobrando taxa de R$ 100,00 para liberar os caminhões.

Diante da incidência destes supostos abusos e da necessidade de manter a ordem na área urbana do município, os oficiais que estão à frente do 15º Batalhão a Polícia Militar decidiram montar uma operação e se deslocar até o local.

Ao receberem o comunicado de que o motim não poderia continuar, a maioria dos integrantes do movimento decidiram por bem parar com o manifesto, porém alguns que saíram insatisfeitos com a determinação prometeram voltar no período da tarde.

O Tenente Fischer, responsável pela ação militar nesta manhã reforçou que a PM não vai permitir atos ilegais durante as manifestações. “A polícia militar respeita o direito da manifestação e do protesto, porém nenhum cidadão pode ter cerceada a sua liberdade de ir e vir. Por isso, estamos com nosso efetivo apostos para entrar em ação assim que necessário”, destacou.

Via http://portalcdr.com.br/noticiasDetalhes.php?id=7398

Compartilhe:

Comentários

* O Pensa Brasil não se responsabiliza pelo conteúdo dos comentários e se reserva o direito de eliminar, sem aviso prévio ao usuário, aqueles em desacordo com as normas do site ou com as leis brasileiras.

Mais Lidas

93