06/10/2016

10:16

Por: Alberto Silva

Mônica Iozzi chora e pede arrego para Gilmar Mendes

Vítimas não receberam qualquer indenização”, diz autora da petição online, que é uma das 52 mulheres estupradas pelo médico Roger Abdelmassih, que fugiu do país após habeas-corpus concedido pelo ministro. Atriz foi condenada a pagar R$ 30 mil a Gilmar por comentário no Instagram

Um abaixo-assinado criado no site Change.org por uma das vítimas do ex-médico Roger Abdelmassih, condenado e acusado de estuprar mais 50 pacientes, pede ao ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes que desista do processo que resultou na condenação da apresentadora e atriz Monica Iozzi. Lançada na última terça-feira (4), a petição tinha o apoio de quase 20 mil pessoas até o início desta manhã. Mônica foi condenada a pagar R$ 30 mil por danos morais a Gilmar pelo juiz Giordano Resende, do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios, por causa de um comentário publicado em sua conta no Instagram.

“Cúmplice?”, questionou a atriz “Gilmar Mendes concedeu Habeas Corpus para Roger Abdelmassih, depois de sua condenação a 278 anos de prisão por 58 estupros. Se um ministro do Supremo Tribunal Federal faz isso… Nem sei o que esperar…”, escreveu. Por causa do comentário, Gilmar Mendes pediu na Justiça indenização de R$ 100 mil à atriz. Para o juiz que condenou Monica, o comentário dela violou “a dignidade, a honra e a imagem” do ministro.

Uma das vítimas do ex-médico, a autora da petição, Vana Lopes, criticou a postura do ministro do Supremo. “Quem maiores danos  sofreram com todo este drama foram as vítimas de estupro, que não receberam nenhuma indenização. Gostaria de lembrar que o Poder Judiciário deixou escapar o Monstro  Abdelmassih, oportunidade que o médico aproveitou para fugir, e esta situação nos trouxe traumas irreparáveis”, escreveu Vana, autora do livro Bem-vindo ao inferno, em que relata o drama das vítimas. “Ademais não podemos esquecer que esta decisão por fim onerou o Estado em  gastos para prender o foragido que recaiu sobre todos nós brasileiros. Abster-se de receber a presente indenização certamente não irá ferir vossa honra nem causar maiores danos à militância das vítimas”, acrescentou.

Uma das vítimas do ex-médico, a autora da petição, Vana Lopes, criticou a postura do ministro do Supremo. “Quem maiores danos sofreram com todo este drama foram as vítimas de estupro, que não receberam nenhuma indenização. Gostaria de lembrar que o Poder Judiciário deixou escapar o Monstro Abdelmassih, oportunidade que o médico aproveitou para fugir, e esta situação nos trouxe traumas irreparáveis”, escreveu Vana, autora do livro Bem-vindo ao inferno, em que relata o drama das vítimas.

Prisão e fuga

Em agosto de 2009, o juiz da 16ª Vara Criminal de São Paulo Bruno Paes Stranforini decretou a prisão de Abdelmassih. No dia 24 de dezembro, Abdelmassih foi solto após Gilmar Mendes, então presidente do Supremo, ter concedido habeas corpus revogando a prisão preventiva do médico. Roger Abdelmassih foi condenado em 23 de novembro de 2010, a 278 anos de prisão pela juíza Kenarik Boujikian Felippe, da 16ª Vara Criminal de São Paulo.

Ele foi acusado de 56 estupros de pacientes em sua clínica. Apesar de condenado, e não poder recorrer da decisão em liberdade inicialmente, Abdemassih conseguiu, por decisão de Gilmar, através de liminar concedida no habeas corpus impetrado no Supremo, o direito de recorrer em liberdade. Em 2011 ele fugiu e só foi localizado em 2014 no Paraguai, onde foi preso e extraditado para o Brasil.

Considerado um dos maiores especialistas em reprodução assistida do país, ele passou a ser acusado em 2008. De acordo com as vítimas, os ataques ocorriam quando elas estavam sozinhas com o médico em salas de consulta ou recuperação. Algumas contaram ter sido abusadas enquanto estavam dopadas por medicamentos.

Em nota divulgada por sua assessoria de imprensa, Monica Iozzi anunciou que vai recorrer da decisão e que apenas exerceu seu direito de expressar uma opinião. “A atriz reafirma que não houve qualquer tipo de ofensa ao ministro, mas sim a expressão de uma opinião sobre um fato público a respeito do julgamento de um médico que chocou o país. Médico acusado e condenado por ter abusado sexualmente de dezenas de suas pacientes”, diz o comunicado divulgado pela assessoria da atriz.

Veja a íntegra do texto da vítima de Abdelmassih direcionado a Gilmar Mendes:

“Vossa Excelência Senhor Ministro Gilmar Mendes, meu nome é Vana Lopes,escritora do Livro Bem vindo ao Inferno. Sou uma das vítimas de Roger Abdelmassih e represento dezenas de outras vítimas do ex-médico; também falo em nome do Grupo Vítimas Unidas, que tem mais de 78 mil participantes; por último, falo como cidadã. Venho por meio deste abaixo assinado pedir que a ação onde foi condenada a atriz Monica Iozzi a pagar R$ 30 mil de indenização por danos morais a Vossa excelência seja relevada.

Ao nosso ver, quem  maiores danos  sofreram com todo este drama foram as vitimas de estupro, que não receberam nenhuma indenização.Gostaria de lembrar que o Poder Judiciário deixou escapar o Monstro  Abdelmassih, oportunidade que o médico aproveitou para fugir, e esta situação nos trouxe traumas irreparáveis. Ademais não podemos esquecer que esta decisão por fim onerou o Estado em  gastos para prender o foragido que recaiu sobre todos nós brasileiros. Abster-se de receber a presente indenização certamente não irá ferir vossa honra nem causar maiores danos à militância das vítimas. Tenho a certeza de que vossa excelência certamente saberá compreender as nuances do caso.

(Via Agencia)

Compartilhe:

Comentários

* O Pensa Brasil não se responsabiliza pelo conteúdo dos comentários e se reserva o direito de eliminar, sem aviso prévio ao usuário, aqueles em desacordo com as normas do site ou com as leis brasileiras.

Mais Lidas

89