08/08/2016

20:17

Por: Alberto Silva

Misteriosamente Dias Toffoli some com OFICIO da Corregedoria eleitoral que pedia cassação do PT, veja aqui…

A equipe d'O Antagonista teve acesso exclusivo ao despacho do ministro e o trecho destacado é indisputável.

No despacho em pede a instauração do processo de cassação do registro de funcionamento do PT por fraudes gravíssimas nas Eleições 2010 e 2014, o atual presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Gilmar Mendes, aponta o forte indício de fraude processual dentro do próprio TSE na gestão anterior, sob a tutela de Dias Toffoli, ex-advogado do partido e também ministro do Supremo Tribunal Federal.

A equipe d’O Antagonista teve acesso exclusivo ao despacho do ministro e o trecho destacado é indisputável. O ministro Gilmar Mendes questiona o misterioso sumiço do Ofício nº 1.240, expedido em 10 de setembro de 2015, pelo ministro João Otávio de Noronha, corregedor-geral da Justiça Eleitoral do Brasil.

No documento, a Corregedoria-Geral da Justiça Eleitoral pede a cassação do registro de funcionamento do Partido dos Trabalhadores, por fraude na escrituração contábil, nos termos do Art. 35 da Lei 9.096/1995 e do §3º e do §5º da Resolução TSE nº 23.432/2014. O “misterioso sumiço” do documento evitou a instauração do processo. Os três últimos tesoureiros do PT já estão no xilindró.

No documento, a Corregedoria-Geral da Justiça Eleitoral pede a cassação do registro de funcionamento do Partido dos Trabalhadores, por fraude na escrituração contábil, nos termos do Art. 35 da Lei 9.096/1995 e do §3º e do §5º da Resolução TSE nº 23.432/2014. O "misterioso sumiço" do documento evitou a instauração do processo. Os três últimos tesoureiros do PT já estão no xilindró.

Compartilhe:

Comentários

* O Pensa Brasil não se responsabiliza pelo conteúdo dos comentários e se reserva o direito de eliminar, sem aviso prévio ao usuário, aqueles em desacordo com as normas do site ou com as leis brasileiras.

Mais Lidas

104