15/01/2016

23:14

Por: Alberto Silva

Menina de 4 anos é salva graças a apelo na internet

Uma menina de 4 anos de idade nasceu com um tumor extremamente raro e do tamanho de uma bola de futebol em sua cabeça.

Renu, que mora no leste de Uttar Pradesh, Índia, junto dos pais e de seis irmãos, passou anos com o inchaço crescendo e ele chegou a pesar 2,5 quilos. Caso o tumor tivesse se rompido, já que poderia ter explodido a qualquer momento, a menina teria morrido. De acordo como que sua mãe, Pramila, contou, sua filha nasceu sem o caroço.

Sua família não podia pagar por uma cirurgia para solucionar o problema, uma vez que não tinham condições econômicas. No entanto, graças à ajuda de estranhos, que através de redes sociais postaram imagens com a história da criança, Renu foi salva.

Renu, menina pobre de 4 anos que vive na Índia, que tinha um tumor extremamente raro e do tamanho de uma bola de futebol, foi operada graças a internautas. Isso porque Akhilesh Yadav, ministro-chefe do Estado de Uttar Pradesh, tomou conhecimento do caso e providenciou uma operação gratuita.

O tumor raro – com apenas dois casos vistos no mundo inteiro – é conhecido como encefalocele occipital gigante, e foi operado com sucesso por uma equipe de cirurgiões no King George’s Medical University, Lucknow, na Índia. Ele vinha crescendo (na parte do cérebro que controla a visão) desde que a menina nasceu, de acordo com o Dr. SN Kureel, membro da equipe. O tumor era benigno, mas perigoso, pois poderia se romper à medida que crescia.

O crescimento, que poderia ter se tornado maligno, estava colocando em risco o desenvolvimento da criança. “O principal desafio era tirar o tumor sem danificar um nervo vital que fornece luz para os olhos. Se ele tivesse sido danificado durante o curso da operação, a paciente teria perdido sua visão permanentemente”, afirmou Dr. Kureel.

A menina deverá ser monitorada pelos profissionais por algum tempo. Seu pai, Jhinkant, de 30 anos, disse: “Eu não sei o que a rede social é e como ela funciona. Mas uma coisa que eu sei é que ela ajudou a salvar a vida da minha filha”.

Compartilhe:

Comentários

* O Pensa Brasil não se responsabiliza pelo conteúdo dos comentários e se reserva o direito de eliminar, sem aviso prévio ao usuário, aqueles em desacordo com as normas do site ou com as leis brasileiras.

Mais Lidas

loading...
93