20/06/2016

16:33

Por: Alberto Silva

Mãe da namorada de Cristiano Araújo se apoia na fé para lidar com saudade

Ela se sentiu perdida após morte, pois vivia com a filha: 'Perdi minha metade'. Allana Moraes e cantor morreram há um ano em acidente na BR-153, em GO.

“Os filhos ainda pergumtam ‘onde está o papai, ele vai voltar?’ A família de Allana Moraes, de 19 anos, se apoia na religiosidade para seguir em frente sem a estudante, que morreu há quase um ano no acidente com o namorado, o cantor Cristiano Araújo, na BR-153, em Morrinhos, sul de Goiás. Mãe da jovem, Miriam Coelho Pinto Moraes, 47, reconhece que a dor nunca vai passar, mas é suportável pela certeza do reencontro na eternidade.

“Eu amo meus três filhos igualmente, mas Allana me incluía mais da vida dela. Eu vivia e sofria junto com ela. A gente era cúmplice uma da outra. Por isso, eu senti como se tivesse ido metade de mim, que perdi minha metade. Estava tão envolvida naquilo e, de repente, acabou. Você se perde. Foi bastante difícil para mim e ainda está sendo viver sem ela. Perder um filho é a mesma coisa que amputar um membro de um corpo sem anestesia, é uma dor na alma, que não tem nem como explicar”, disse a dona de casa em entrevista ao G1.

O G1 Goiás publica esta semana uma série de reportagens especiais sobre o 1 ano da morte do cantor Cristiano Araújo e da namorada dele, Allana Moraes.

A dor da saudade e da ausência não passa, mas a certeza da vida eterna é maior do que essa dor. Tenho certeza absoluta que um dia eu vou me reencontrar com eles em virtude das orações que eu faço. É uma dor suportável quando você tem Deus na sua vida, é ele que te sustenta, se você não acredita na vida eterna, realmente você quer morrer porque nada faz sentido. Nada do que a gente vier a ter seria melhor do que a gente ter a Allana e o Thales de volta”, declarou.

Além de Allana, Miriam e o marido, o representante comercial Frank Moraes, de 48 anos, também são pais de Thales e Gabriela Moraes.

Em abril 2011, eles perderam Thales, na época com 13 anos, por causa de uma leucemia. Quatro anos depois, em 24 de junho de 2015, aconteceu o acidente que vitimou Allana. Para Miriam, nada compensará a ausência dos dois.

“A dor da saudade e da ausência não passa, mas a certeza da vida eterna é maior do que essa dor. Tenho certeza absoluta que um dia eu vou me reencontrar com eles em virtude das orações que eu faço. É uma dor suportável quando você tem Deus na sua vida, é ele que te sustenta, se você não acredita na vida eterna, realmente você quer morrer porque nada faz sentido. Nada do que a gente vier a ter seria melhor do que a gente ter a Allana e o Thales de volta”, declarou.

Lembranças
Em dezembro do ano passado, a família se mudou de apartamento. Os pais não mantiveram o quarto de Allana, mas trouxeram todas as coisas dela e de Thales para a nova casa.

A dona de casa deu algumas roupas de Allana para a sobrinha Iane, pois gosta de ver as coisas da filha nela: “Parece que tem um pedacinho da Allana junto com a gente”. No entanto, a maioria ainda está guardada em malas e em um guarda-roupa. Miriam confessa que tem dificuldade em doar os pertences dos filhos.

“Acho importante a gente doar, não tem nada a ver você guardar. A gente carrega eles no coração, mas é bom ter uma coisa ou outra deles. Dá a impressão que eu vou me desfazer daquilo que ficou, parece que vou ficar sem nada, mas é uma sensação que não tem muito sentido. É uma coisa minha essa dificuldade de desfazer. Realmente, preciso mexer e dar algumas coisas, não faz sentido eu guardar tudo”, disse.

Família de Allana Moraes, Goiânia, Goiás (Foto: Arquivo pessoal/ Frank Moraes)Allana ao lado dos pais e dos irmãos mais novos (Foto: Arquivo pessoal/ Frank Moraes)

Dentre os objetos que Miriam guarda com mais carinho estão um colar com o nome de Allana, um anel com um coração e uma pulseira que a filha ganhou do sertanejo. “São lembranças que eu quero guardar sempre”, garantiu Miriam.

Além disso, quando estavam desmontando o quarto do Cristiano, ela fez questão de ficar com um porta-retratos que a filha tinha dado ao namorado quando completaram 1 ano de relacionamento, em 16 de abril de 2015. Nele, está a foto do casal que ela mais gosta e uma mensagem da filha para o cantor: “Amor da minha vida. Amo até no céu. Boa viagem, ‘mor’ meu”.

Namoro conturbado
Miriam lembra que Cristiano levou cerca de um ano para conseguir namorar Allana. De acordo com a dona de casa, o casal tinha um namoro conturbado devido ao meio artístico do cantor, mas a filha, ao aceitar o namoro, fez uma escolha. Por isso, ela vivia em oração pelo casal.

Cristiano Araújo e Allana Moraes, Goiânia, Goiás (Foto: Arquivo pessoal/ Miriam de Moraes)Para Miriam, esta é a foto preferida de Allana com Cristiano (Foto: Arquivo pessoal/ Miriam de Moraes)

“As pessoas veem as fotos e acham que era um conto de fadas, só que não, como dizia a Allana. Ela pôde viver coisas bacanas com o Cristiano, mas foi através de bastante tribulação e  para ele também. O meio do Cristiano é artístico, de muito assédio, inveja, interesse, então tinha muita gente que não queria esse namoro”, opina a dona de casa.

Para Miriam, o namoro de Allana e Cristiano os preparou para viver na presença de Deus.  “A Allana estava buscando a Deus e o Cristiano, a partir do momento que foi pedir a Allana em namoro, estava tentando traçar um caminho mais reto e viver esse amor que ele encontrou nela. Nesse namoro, de uma certa forma, a Allana santificou a vida do Cristiano e o Cristiano a vida da Allana. Acredito que Deus fez o melhor, foram colhidos na hora certa, em que estavam em estado de maior graça”, acredita.

Responsabilidade pelo acidente
Além do casal, estavam no veículo do cantor, uma Range Rover, o motorista Ronaldo Miranda e o empresário Vitor Leonardo. Os dois sofreram ferimentos, mas sobreviveram. Dados recolhidos da “caixa preta” do carro mostram que o motorista estava a 179km/h cinco segundos antes do acidente.

O delegado responsável investigar o acidente, Fabiano Henrique Jacomelis, concluiu que omotorista foi negligente e imprudente, mas não cometeu o ato intencionalmente. Por isso, a Polícia Civil indiciou Ronaldo por duplo homicídio culposo, quando não há intenção de matar.

Cristiano Araújo e a namorada, Allana Moraes morreram em acidente em Goiás (Foto: Reprodução/TV Anhanguera)Cristiano Araújo e Allana Moraes namoravam há mais de 1 ano (Foto: Reprodução/TV Anhanguera)

O Ministério Público Estadual fez a denúncia do crime, que foi acatada pelo juiz Diego Custódio Borges, em setembro de 2015. Desde então, o processo tramita no Poder Judiciário e, na semana passada, passou a correr em segredo de Justiça.

A família acredita que Ronaldo foi irresponsável. No entanto, não o trata com culpado e não quer que ele seja condenado pelo acidente.

“Eu acho que ele teve as responsabilidades por estar correndo muito, por a roda do carro ter onze soldas, que já tinham alertado do perigo da roda. Apesar de ter as responsabilidades dele, ele não teve a intenção. Ele amava o Cristiano, amava a Allana. Apesar de tudo, gosto muito do Ronaldo”, afirma Miriam.

Cristiano e a namorada também não usavam cinto de segurança no momento do acidente. Para a mãe da jovem, esse é outro fator que colaborou para a morte deles. “O Cristiano sempre vinha deitado no colo dela e ela também sem cinto de segurança. Então os dois saíram voando dentro do carro por conta disso”, conclui.

Carro do cantor Cristiano Araújo, em Goiás (Foto: Táliton Andrade/G1)

Compartilhe:

Comentários

* O Pensa Brasil não se responsabiliza pelo conteúdo dos comentários e se reserva o direito de eliminar, sem aviso prévio ao usuário, aqueles em desacordo com as normas do site ou com as leis brasileiras.

Mais Lidas

104