26/09/2016

09:37

Por: Alberto Silva

“Inventam atritos. É a coisa que mais me incomoda” diz Wolf Maia após sua saída da Rede Globo

Além disso, Wolf rebateu o boato de que teria deixado a Globo para atuar na Record. "A Record nunca me chamou e não está nos meus planos. Não saí da Globo para fazer novela em outra emissora. Torço para que a Record evolua, porque o processo de televisão é qualidade, não é audiência.

Wolf Maya é o dono de uma escola de teatro em São Paulo, onde atores como Paolla Oliveira, Henri Castelli, Nanda Costa, Marjorie Estiano e Malvino Salvador estudaram. O ator e diretor está a dias antes de estrear a peça “33 Variações”, em que cuida da direção e contracena com Nathalia Timberg.

Depois de 35 anos na TV Globo, Wolf, de 63 anos, deixou há algumas semanas a equipe fixa de diretores da empresa. No entanto, o artista firmou um convênio com a emissora para a escola com seu nome, que tem unidades em SP e no Rio, treinar atores para as produções do canal.

“Não dirigir é uma decisão minha”, afirmou, segundo a colunista Mônica Bergamo, da Folha de S. Paulo.

“Fiz 32 novelas em 30 anos. Mal acabava uma, eu começava outra. Falei: olha, eu vou puxar o freio de mão. Quero ficar mais livre e vincular meu trabalho atual [a escola] à TV Globo. Saí do departamento de novelas para criar um departamento de formação”, completou, com o propósito de afastar qualquer rumor sobre uma saída problemática ou motivada por alguma briga.

“Inventam atritos. É a coisa que mais me incomoda. [O autor] Walcyr [Carrasco] é um brother, amigo. Acabei de falar com ele. Inventaram atrito com a Gloria [Perez], que é minha irmã”, lamenta o diretor. Para Wolf, “a televisão adora supervalorizar o poder e o temperamento do diretor. Quando tem um personagem que é diretor, é sempre o louco, o histérico, o brigão”.

Além disso, Wolf rebateu o boato de que teria deixado a Globo para atuar na Record. “A Record nunca me chamou e não está nos meus planos. Não saí da Globo para fazer novela em outra emissora. Torço para que a Record evolua, porque o processo de televisão é qualidade, não é audiência. Audiência não pode ser construída em cima de programa safado, medíocre.”

(Via Agencia)

Compartilhe:

Comentários

* O Pensa Brasil não se responsabiliza pelo conteúdo dos comentários e se reserva o direito de eliminar, sem aviso prévio ao usuário, aqueles em desacordo com as normas do site ou com as leis brasileiras.

Mais Lidas

91